publicidade

pesquise aqui sua simpatia

----------------------------------------------
Custom Search
--------------------------------------------

publicidade

----------------------------------------- ----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------
Mostrando postagens com marcador religiao. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador religiao. Mostrar todas as postagens

segunda-feira

Linhas da Quimbanda

Linhas da Quimbanda 
 
Linhas da Quimbanda

Linhas da Quimbanda
Assim como há as sete linhas que regem e organizam as forças existentes dentro da Umbanda, dentro da Quimbanda o mesmo acontece e processa, pois como se sabe, " tudo que há em cima, há em baixo." Tendo esta Lei para se começar a entender o por que da existência das sete linhas da Umbanda e da Quimbanda, encontraremos meios de compreensão que estas linhas, estão em lados opostos e harmoniosamente equilibradas, permitindo desta maneira o equilíbrio perfeito resultante dos movimentos dos opostos, perpetuando pela quebra e restauração deste equilíbrio o movimento perpétuo e necessário para a existência em sua concepção maior.
As linhas da Quimbanda, assim como as linhas da Umbanda, são em numero de sete. Vejamos :
Linha Malei
Chefe - Exu Rei, é composta por 7 falanges, cada qual com seu chefe, e seus sete respectivos subordinados. Os componentes desta linhas são os componentes do Alto Comando do Povo de Exu, por este motivo é entendida como a linha que opera e comanda todas as decisões dentro do reino. Esta linha funciona com um alto conselho, uma alta cúpula que rege e administra o reino de Exu, seus componentes de apresentam sempre com roupagem de cor escura, cobertos por uma luz vermelha e sem brilho. Componentes da Linha Malei:
  1. Exu Rei das Sete Encruzilhadas
  2. Exu Marabô
  3. Exu Mangueira
  4. Exu Tranca Ruas das Almas
  5. Exu Tiriri
  6. Exu Veludo
  7. Exu dos Rios ou Campinas
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira Rainha das Sete Encruzilhadas
Linha das Almas
Chefe - Omulu, encontra-se nesta linha espíritos vulgarmente conhecidos como omulus, e isto se deve pelo fato de estarem este espíritos sob a égide de Omulu, tanto no Organograma, quanto diretamente subordinados a ele em sua linha, outro fato que vem elucidar o fato pelo qual estes espíritos são conhecidos pelo denominativo supra citado, é que estes tem por morada os cemitérios, onde também são realizadas suas entregas,são espíritos que se apresentam cobertos de pêlos, unhas em forma de garras, chifres e rosto semelhante à lobos e com olhos vermelhos. São os componentes desta linhas:


  1. Exu Mirim
  2. Exu Pimenta
  3. Exu 7 Montanhas
  4. Exu Ganga
  5. Exu Kaminaloá
  6. Exu Malê
  7. Exu Quirombô
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira das Almas
Linha do Cemitério ou dos Caveiras
Chefe - Exu Caveira, tendo sob sua responsabilidade as ações dos espíritos vulgarmente conhecidos como caveiras, sendo suas manifestações, não para todos estes elementos, na forma de esqueletos. Há sim, alguns destes espíritos que se apresentam e manifestam-se como esqueletos, porém não todos. O fato que outorgou-lhes o denominativo de caveiras é o simples fato de que estes espíritos trabalham e respondem obediência a Exu Caveira, também e pelo fato de que estes espíritos trabalham, e recebem suas oferendas dentro dos cemitérios. São os componentes desta linha:
  1. Exu Tatá Caveira
  2. Exu Brasa
  3. Exu Pemba
  4. Exu do Lodo
  5. Exu Carangola
  6. Exu Arranca Toco
  7. Exu Pagão
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira Rainha dos Cemitérios
Linha Nagô
Chefe - Exu Gererê, os espíritos que são os componentes desta linha são exímios entendidos na pratica da magia, seja astral, seja natural ou qualquer outra forma ou modalidade a eles requisitados. Sua atuação principal é dentro da magia vodu, muito conhecida a nível superficialissímo, sendo esta modalidade da magia, ensinada a pouquíssimos iniciados, haja vista sua complexidade, sua extrema e perigosíssima eficiência, que em mãos erradas podem resultam grandes e as vezes irreversíveis conseqüências, tanto ao operador quanto a infeliz vítima. Quero deixar claro que a magia vodu pode ser amplamente requisitada e usada para fins maléficos, na qual obtém resultados rápidos e por demais eficientes, contudo a magia vodu também, e deveria assim ser, utilizada para fins benéficos e virtuosos. Os espíritos que se apresentam dentro desta linha são denominados vulgarmente de "Gangas". Este fato é existente pelo pouco conhecimento que se tem que o chefe desta linha é Exu Gererê, ou seja é ele um Exu pouco conhecido, apresenta-se sempre com uma armadura, carregando um tridente e uma espada, porém confundido com Exu Ganga, que por sua vez, é por demais conhecido dentro das giras Umbandistas e Quimbandistas, e é este Exu, elemento desta forte e perigosa linha da Quimbanda. São os elementos desta linha:

  1. Exu Quebra Galho
  2. Exu 7 Cruzes
  3. Exu Gira Mundo
  4. Exu dos Cemitérios
  5. Exu da Capa Preta
  6. Exu Curador
  7. Exu Ganga
Polo Passivo
Pomba Gira- Pomba Gira Maria Padilha
Linha de Mossorubi
Chefe - Kaminaloá, os espíritos que se apresentam dentro desta linha possuem um especialidade real para os males de origem espiritual que por ventura venham causar perturbações dentro da mente do ser humano. São os elementos desta linha exímios conhecedores da mente humana e por esta razão são evocados para realizarem os mais diverso tipos de trabalhos onde se necessite o tratamento mental ou desenvolvimento mental para se conseguir os objetivos do operador. São os elementos que compõe esta linha:
  1. Exu dos Ventos
  2. Exu dos Morcego
  3. Exu 7 Portas
  4. Exu Tranca Tudo
  5. Exu Marabá
  6. Exu 7 Sombras
  7. Exu Calunga
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira Maria Molambo
Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Chefe - Exu Pantera Negra, conhecido por este nome devido à sua enorme coragem e força para vencer demandas e realizar os mais terríveis trabalhos de magia, além de ter o poder de curar até doenças tidas como incuráveis, também possui o poder de enriquecer quem a ele recorrer, esta linha possui este denominativo não é atoa, pois os espíritos que compõe esta linha se apresentam como se fossem caboclos, índios americanos enfim, tendo especialidade em trabalhos de cura e desobsidiação, além de favorecerem as riquezas materias e tesouros, são exímios guerreiros, a maioria delas pertencem a antiga tribo Sherokee dos E.U.A. Assim como ocorre em todas as linhas, é esta composta por sete falanges, cada uma com seu respectivo chefe, que por sua vez comanda outras sete legiões, onde se divide novamente em sete falanges, novamente, cada falange com sete chefes e assim sucessivamente até certo limite. São os elementos desta linha:


  1. Exu 7 Cachoeiras
  2. Exu Tronqueira
  3. Exu 7 Poeiras
  4. Exu da Matas
  5. Exu 7 Pedras
  6. Exu do Cheiro
  7. Exu Pedra Negra
Polo Passivo
Pomba Gira - Pomba Gira da Figueira
Linha Mista
Chefe - Exu dos Rios ou Campinas. Possui este denominativo, pelo fato de que os espíritos que compõe esta linha não são Exus, mas sim Kiumbas, ou seja, espíritos desencarnados, espíritos de mortos, que servem a Exu. Estes espíritos se encontram nestas condições por fatores que não correspondem ao assunto proposto por esta página. Estes espíritos que trabalham dentro desta linha são os responsáveis pelas obsidiações ou obsessões, excitando várias doenças que por serem causadas a nível espiritual, não são diagnosticadas pelos médicos encarnados, o que torna estas doenças impossíveis de serem curadas pelos métodos da ciência profana. Chegam a causar loucura, estados mentais de perturbações diversas. Mas aqui vai um lembrete: Os Agentes Mágicos são em verdade forças cegas, e assim sendo cabe ao operador direcioná-la da maneira melhor possível, tendo em mente sempre a infalível Lei do Retorno. Sendo esta Linha composta por Kiumbas, é esta apenas regida pelo Exu dos Rios ou Campinas, tendo como polo passivo da linha, Pomba Gira, ou seja todas as Pomba Giras.
Relações existentes entre as Linhas da Quimbanda e Umbanda
Uma vez se entendendo que há uma perfeita harmonia entre as ações dos elementos que compõe as linhas da Quimbanda e da Umbanda, cada elemento destes há um paralelo, um elo de ligação entre a Umbanda e a Quimbanda.





Vejamos entre as Linhas primeiramente:
Umbanda
Quimbanda
Linha de Oxalá
Linha Malei
Linha de Ogum
Linha do Cemitério
Linha de Oxóssi
Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Linha de Xangô
Linha de Mossorubi
Linha de Yorimá
Linha da Almas
Linha de Ibêji
Linha Mista
Linha de Yemanjá
Linha Nagô
A Quimbanda é uma dimensão oposta a umbanda. Todos os elementos das luzes têm o equivalente negativo no mundo das trevas. As sete linhas da Umbanda representam as sete linhas da Quimbanda comandadas por exus.

Umbanda
Quimbanda
Linha de Oxalá
Exu 7 encruzilhadas
Linha de Iemanjá
Exu Pomba-Gira
Linha de Ogum
Exu Tranca-Ruas
Linha de Xangô
Exu Gira-Mundo
Linha de Oxossi
Exu Marabô
Linha das crianças
Exu Tiriri
Linha de Preto velhos
Pinga-Fogo
Ritual
O principal ritual da Quimbanda consiste na invocação de espíritos. Sessões, que na Umbanda são Giras de crianças, caboclos [as], pretos e pretas velhos, na Quimbanda são Giras de exus. Os quimbandeiros trabalham exclusivamente com estas entidades que pertencem ao domínio astral daquele primeiro Exu criado por Nzambi na origem do Universo manifestado.
Na Quimbanda, assim como na Umbanda e no Candomblé, não se admite a possibilidade de comunicação direta entre Deus e os homens. Somente os espíritos invocados pelos Tatás, Babás, Ngangas, enfim, sacerdotes/xamãs, somente esses espíritos podem intermediar o contato entre o físico e o metafísico, o visível e o invisível. Assim, todo sacerdote Quimbanda é um medium que incorpora Exus, os executores dos trabalhos que interferem na realidade, na vida das pessoas, seja para o bem ou para o mal.
Exu na Lei da KIMBANDA - Angola
A Lei da KIMBANDA vem dos bantos, dos povos Angola-Congo. A “misturança”, ou ainda podemos dizer “sincretismo” entre o Exu-iorubá, os Ngangas e Tatás (almas de chefes kimbandeiros das nações bantas) foi o que deixou esse ar de confusão no povo, que muitos até mesmo sendo "feitos na KIMBANDA", não entendem, ou o que é pior, tratam-no de diabo. Na verdade, o Exu da KIMBANDA não é o Exu-Iorubá (Orixá ou Imalé dessa cultura). Os Espíritos que chegam na linha da KIMBANDA são espíritos de Ngangas ou Tatás, aqueles que quando encarnados na terra eram sacerdotes bantos adoradores de algum Nkisi ou Npungu.
No Brasil, o culto aos Npungus e Nkisis através dos seus mensageiros – os Ngangas - foi misturado na escravidão com o culto aos Encantados e aos pajés (da cultura tupi-guarani) e também com o dos Iorubás, surgindo os seguintes novos cultos, fruto da miscelânea: Makumba - que vem de "ma-kiumba" (espíritos da noite). Foi assim chamado o mais primitivo culto sincretista no sul do Brasil (e o primeiro originado no Brasil), dada sua maior preponderância banto; é dela que descendem os outros cultos afro-brasileiros com influência das nações Angola-Congo, Tupi-guarani, Nagô e a Igreja, nessa ordem. A razão de se chamar makiumba (logo após por deturpação da palavra ficaria makumba ou macumba) foi justamente, porque é um culto que se faz na noite, onde se deveriam chamar necessariamente os espíritos da noite (almas de outros sacerdotes do culto - Eguns ou Ancestrais). No culto iorubano-nagô conhece-se e rende-se culto aos Ancestrais-Egun, porém eles são afastados dos rituais aos Orixás, tentando ter um contato com outro tipo de energia. Isto contribuiu para que os rituais onde se chamavam os eguns fossem menosprezados, tratados pejorativamente e mal interpretados.
Por outro lado, a Igreja também condenava os cultos com influência índio-banto onde se fazia beberagem e supostamente “orgias”.
Na verdade, as danças bantús eram no Brasil e ainda são na África, bastante eróticas, e também é verdade que os Guias bebem e fumam, porém é muito distante de ser uma orgia ou uma bebedeira. Depois, quando os grupos de nações começaram a procurar sua identidade, dividiram-se os principais componentes da makumba, aparecendo: Candomblé de Angola; Candomblé de Congo; Candomblé de Caboclo ou dos Encantados; Catimbó; - todos eles à procura de uma raiz cultural - e também, ao final do século XIX surgem da macumba urbana, (onde se tinha muita participação dos brancos pobres e os descendentes de escravos) a Umbanda e a KIMBANDA com influências para o Espiritismo e com muito sincretismo. Na KIMBANDA, permaneceu grande parte do culto aos Ngangas da nação Angola-Congo, porém misturado com o diabo (pelas influências dos mitos e tabus dos próprios integrantes - que não tinham conhecimento das origens) e também embaixo do pé do Orixá Iorubá Exu.
HIERARQUIA INFERNAL

     
REINOS DE EXU NA KIMBANDA
A KIMBANDA tem sete reinos, sendo sua organização remanescente das organizações tribais em reinos na África Banto. Cada Reino é composto por nove povos de Exu, sendo que cada povo é comandado por um Exu-Chefe.
POVOS DE EXU NA KIMBANDA
Em cada reino existem 9 povos, sendo um total de 63 povos de Exu. A seguir oferecemos uma lista com os povos que pertencem a cada reino:
Reino das Encruzilhadas
Chefiado por Exu Rei das Sete Encruzilhadas e Pombagira Rainha das Sete Encruzilhadas, governa todas as passagens dos Exus que ali trabalham. Sua função principal é abrir os caminhos para os outros Guias chegarem e também para os filhos e fregueses.
Povo da Encruzilhada da Rua
Chefe Exu Tranca-Ruas
Povo da Encruzilhada da Lira
Chefe Exu Sete Encruzilhadas
Povo da Encruzilhada da Lomba
Chefe Exu das Almas
Povo da Encruzilhada dos Trilhos
Chefe Exu Marabô
Povo da Encruzilhada da Mata
Chefe Exu Tiriri
Povo da Encruzilhada da Kalunga
Chefe Exu Veludo
Povo da Encruzilhada da Praça
Chefe Exu Morcego
Povo da Encruzilhada do Espaço
Chefe Exu Sete Gargalhadas
Povo da Encruzilhada da Praia
Chefe Exu Mirim

Reino dos Cruzeiros
Chefiado pelo Exu Rei dos Sete Cruzeiros e Pombagira Rainha dos Sete Cruzeiros, governa todas as passagens dos Exus que trabalham nos cruzeiros (não confundir com encruzilhada).
Povo do Cruzeiro da Rua
Chefe Exu Tranca Tudo
Povo do Cruzeiro da Praza
Chefe Exu Kirombó
Povo do Cruzeiro da Lira
Chefe Exu Sete Cruzeiros
Povo do Cruzeiro da Mata
Chefe Exu Mangueira
Povo do Cruzeiro da Kalunga
Chefe Exu Kaminaloá
Povo do Cruzeiro das Almas
Chefe Exu Sete Cruzes
Povo do Cruzeiro do Espaço
Chefe Exu 7 Portas
Povo do Cruzeiro da Praia
Chefe Exu Meia Noite
Povo do Cruzeiro do Mar
Chefe Exu Kalunga (Kalunga grande)

Reino das Matas
Chefiado pelo Exu Rei das Matas e Pombagira Rainha das Matas. Governa todos os Exus que trabalham nas matas ou locais que tenham árvores a exceção do Cemitério, que pertence a outro reino.
Povo das Árvores
Chefe Exu Quebra Galho
Povo dos Parques
Chefe Exu das Sombras
Povo da Mata da Praia
Chefe Exu das Matas
Povo das Campinas
Chefe Exu das Campinas
Povo das Serranias
Chefe Exu da Serra Negra
Povo das Minas
Chefe Exu Sete Pedras
Povo das Cobras
Chefe Exu Sete Cobras
Povo das Flores
Chefe Exu do Cheiro
Povo da Sementeira
Chefe Exu Arranca Tôco

Reino da Kalunga
Chefiado pelo Exu Rei das Sete Calungas ou Kalungas e Pombagira Rainha das Sete Kalungas. Esses Exus também são chamados pelo nome de Rei e Rainha dos Cemitérios. Geralmente quando se diz "calunga" nas giras de KIMBANDA é para nomear ao cemitério. Trabalham neste reino todos os Exu que moram dentro dos cemitérios exclusivamente.
Povo das Portas da Kalunga
Chefe Exu Porteira
Povo das Tumbas
Chefe Exu Sete Tumbas
Povo das Catacumbas
Chefe Exu Sete Catacumbas
Povo dos Fornos
Chefe Exu da Brasa
Povo das Caveiras
Chefe Exu Caveira
Povo da Mata da Kalunga
Chefe Exu Kalunga (conhecido também como Exu dos Cemitérios)
Povo da Lomba da Kalunga
Chefe Exu Corcunda
Povo das Covas
Chefe Exu Sete Covas
Povo das Mirongas e Trevas
Chefe Exu Capa Preta (conhecido também como Exu Mironga)

Reino das Almas
Chefiado por Exu Rei das Almas Omulu e Pombagira Rainha das Almas. Eles também são conhecidos por Rei e Rainha da Lomba, porque governam todos os Exus que trabalham em locais altos. Porém, os Exus deste reino também trabalham em hospitais, morgues, etc.
Povo das Almas da Lomba
Chefe Exu 7 Lombas
Povo das Almas do Cativeiro
Chefe Exu Pemba
Povo das Almas do Velório
Chefe Exu Marabá
Povo das Almas dos Hospitais
Chefe Exu Curadô
Povo das Almas da Praia
Chefe Exu Giramundo
Povo das Almas das Igrejas e Templos
Chefe Exu Nove Luzes
Povo das Almas do Mato
Chefe Exu 7 Montanhas
Povo das Almas da Kalunga
Chefe Exu Tatá Caveira
Povo das Almas do Oriente
Chefe Exu 7 Poeiras

Reino da Lira
Os chefes deste reino são muito mais conhecidos por seus nomes sincréticos: Exu Lúcifer e Maria Padilha, sendo na verdade seus nomes kimbandeiros Exu Rei das Sete Liras e Rainha do Candomblé (ou Rainha das Marias). Seus apelidos kimbandeiros mostram justamente sua afinidade pela dança, a música e a arte (lira e candomblé). Dentro do reino da Lira, que também às vezes é chamado "reino do candomblé" não pelo culto africanista aos orixás, senão por ser essa palavra o sinônimo de dança e música ritual. Trabalham aqui todos os Exus que tem que ver com a arte, a música, poesia, boemia, artes ciganas, malandragem, etc.
Povo dos Infernos
Chefiado por Exu dos Infernos
Povo dos Cabarés
Chefiado por Exu do Cabaré
Povo da Lira
Chefiado por Exu Sete Liras
Povo dos Ciganos
Chefiado por Exu Cigano
Povo do Oriente
Chefiado por Exu Pagão
Povo dos Malandros
Chefiado por Exu Zé Pelintra
Povo do Lixo
Chefiado por Exu Ganga
Povo do Luar
Chefiado por Exu Malé
Povo do Comércio
Chefiado por Exu Chama Dinheiro

Reino da Praia
Chefiado pelo Exu Rei da Praia e Rainha da Praia. Dentro dele encontram-se todos os Exus que trabalham nas praias, perto d'agua o ainda dentro dela, podendo ser salgada ou doce.
Povo dos Rios
Chefiado por Exu dos Rios
Povo das Cachoeiras
Chefiado por Exu das Cachoeiras
Povo da Pedreira
Chefiado por Exu da Pedra Preta
Povo do Marinheiros
Chefiado por Exu Marinheiro
Povo do Mar
Chefiado por Exu Maré
Povo do Lodo
Chefiado por Exu do Lodo
Povo dos Bahianos
Chefiado por Exu Bahiano
Povo dos Ventos
Chefiado por Exu dos Ventos
Povo da Ilha
Chefiado por Exu do Côco
Pomba Gira
Chamada de Pombagira, Bombogira, Exu-mulher ou ainda Bomobonjira é conhecida a Entidade feminina da KIMBANDA. Esta forma de chamar para Ela é sem dúvida pela influência banta (Angola). A Entidade banta Aluvaiá-Pombagira foi então submetida à Entidade iorubana Exu, sendo colocada como sua mulher.
Na KIMBANDA, devemos dizer que a Pombagira representa o poder feminino feiticeiro, comparável com as Iyami Oxorongá dos iorubás. Ela pode ter muitos maridos, que tornam-se seus "escravos" ou empregados. Na concepção da KIMBANDA, todas as Entidades são duplas, é dizer, cada uma delas pode se apresentar em baixo da aparência de homem ou mulher. Por seu lado, os Exu-homens podem ter muitas mulheres, as quais passam a ser suas escravas ou empregadas. É muito comum usar o número 7 (sete) para dizer quantas mulheres ou homens pode ter uma Entidade, isso é assim, por ser um numero cabalístico e mágico.
Cada Exu-homem da KIMBANDA tem sua parte feminina ou contrapartida, que na verdade são a mesma Energia em baixo de aparências distintas, temos assim:
  • Exu Rei das Encruzilhadas / Pombagira Rainha das Encruzilhadas;
  • Exu das Matas / Pombagiras das Matas;
  • Exu Giramundo / Pombagira Giramundo;
  • Exu do Cravo Vermelho / Pombagira da Rosa Vermelha;
  • Exu Mulambo / Pombagira Maria Mulambo;
  • Exu Sete Capas / Pombagira Sete Saias;
  • Exu 7 Estrelas / Pombagira 7 Estrelas; etc.
Quando incorporada no cavalo, a pombagira mostra-se quase sempre bonita, feminina, amável, elegante, sedutora, mais também tem vidência, é certeira e sempre tem algum conselho para aqueles que estão sofrendo por um amor. Ela gosta das bebidas suaves : vinhos doces, licores, cidra, champagne, anis, etc. E gosta dos cigarros e cigarrilhas de boa qualidade, assim como também lhe atrai o luxo, o brilho e o destaque. Usa sempre muitos colares, anéis, brincos, pulseiras, etc. Sendo que existem milhares de pombagiras, e que cada uma tem sua própria pessoalidade, e torna-se muito difícil uma descrição geral.
Suas oferendas levam ovos, maçãs, morangos, perfumes, pentes, espelhos, flores (especialmente rosas - nunca botões), bebidas, cigarros, etc.
As principais pombagiras em ordem hierárquica são as correspondentes às sete passagens da representação feminina de Exu Rei, Pombagira Rainha, após temos 63 pombagiras chefas, sendo cada uma delas a contrapartida de algum dos Exu chefes que já apresentamos na parte onde falamos dos povos de Exu.
As funções principais de Pombagira são as de ajudar os seus em todos os casos de amor, mas também é usada a sua força para desmanchar feitiços, para pedir proteção e curar várias doenças.
GENERALIDADES DE ALGUNS EXUS
Deixamos claro que quando falamos de alma encarnação de um determinado Exu, isso não indica que faz alusão a todos os que se apresentam com este nome, sendo que se trata de um caso específico sobre o qual estamos falando. Os Exus que chegan aos médiuns são pessoais, portanto, suas vivências e encarnações são únicas. Devem sim, ter algo em comum com a falange da qual representam e também possuir uma base sólida.
Temos constatado que muitas narrativas baseadas em dados por algum Exu pessoal têm se estendido e se generalizado para todos os que chegam com este nome em outros médiuns, o que é um erro.
- Outros Exus -
Exu Angola
Que pertence ao povo das Almas do Cativeiro
Exu Cobra Preta
Pertence ao povo das Cobras que trabalha dentro do Reino das Matas
Exu Come-Fogo
Ronda nas cercanias dos crematórios e pertence ao povo do forno
Exu Coquinho dos Infernos
Que integra o grupo do Povo dos Infernos (dentro do Reino da Lira)
Exu da Estrada
Que trabalha nas rotas e estradas (povo do Cruzeiro da Rua)
Exu da Lama
Tem a incumbência onde há incêndios e faz parte do Povo do Forno
Exu Dalva
Pertence ao Povo do Cruzeiro do Espaço. Gosta de trabalhar quando está amanhecendo e recebe as oferendas em terrenos abertos
Exu do Ar
Trabalha sob o comando de Exu dos Ventos
Exu Formiga
Pertence ao Povo das Campinas, mora perto dos formigueiros onde procura um de seus alimentos prediletos: as formigas
Exu Gato
Prefere trabalhar nas encruzilhadas dos montes
Exu Gererê
Trabalha dentro do mar, pertence ao povo dos pescadores, de fato, seu nome significa “red” em linguagem banto
Exu Hora-Grande
Outro tipo de nome que se usa para referir-se a Exu Meia-Noite
Exu Kolobô
Que trabalha nos cemitérios e ataca condolências, pertence ao povo das mirongas
Exu Lalu
Trabalha nas encruzilhadas da praia sob as ordens de Exu Mirim
Exu Limpa-Trilhos
Trabalha nas vias de trem abrindo os caminhos, pertence ao povo da Encruzilhada de Trilhos e seu chefe direto é o Exu Marabô
Exu Mangue
Vive nos mangues
Exu do Pantanal
pertence ao povo do Lodo
Exu Pinga-Fogo
Que pertence ao povo dos Fornos ou do Fogo (povo do fogo material)
Exu Relâmpago
Trabalha no povo da Encruzilhada do Espaço (pontos cardinais), sob as ordens de Seu Sete Gargalhadas
Exu Sete Horas
Que pertence ao povo do Cruzeiro do Espaço
Exu Tira-Tôco
Trabalha nos montes de Eucaliptos a beiradas do mar. Pertence ao povo da mata da praia
Exu Tranca-Gira
Trabalha nos cruzeiros sob as ordens de Exu Tranca Tudo
Pombagira da Terra
Trabalha nos cemitérios
Pombagira Rosária
Trabalha nos mercados e feiras
Pombagira Sete Folhas
Pertence ao povo das árvores e trabalha na entrada dos montes
OFERECEMOS TAMBÉM A SEGUINTE LISTA:
  • Exu Aleba
  • Exu Apavenã
  • Exu Banzé
  • Exu Bara
  • Exu Bauru
  • Exu Boca de Fogo
  • Exu Caçamba
  • Exu Candô
  • Exu Casamenteiro
  • Exu Chico Preto
  • Exu da Figueira
  • Exu da Guiné
  • Exu da Laranjeira
  • Exu da Limeira
  • Exu do Congo
  • Exu do Mar
  • Exu Espeto
  • Exu Folha Seca
  • Exu Gibóia
  • Exu João Caveira
  • Exu João da Bahia
  • Exu João das Almas
  • Exu João Kalunga
  • Exu João Mandinga
  • Exu João Mironga
  • Exu João Pepeu
  • Exu Laborê
  • Exu Loá
  • Exu Lofe
  • Exu Lonã
  • Exu Madeiro
  • Exu Maiô
  • Exu Mareiro
  • Exu Maromba
  • Exu Marujo
  • Exu Matança
  • Exu Miloá
  • Exu Mirô
  • Exu Olho Grande
  • Exu Panteira
  • Exu Pedra roxa
  • Exu Pena de Coruja
  • Exu Pena de Urubu
  • Exu Pena Preta
  • Exu Pimenta
  • Exu Rebolo
  • Exu Serapião
  • Exu Sete Baforadas
  • Exu Sete Dias
  • Exu Sete Facas
  • Exu Sete Montes
  • Exu Sete Pregos
  • Exu Tata Ndaí
  • Exu Tatalá
  • Exu Tatu
  • Exu Tibiri
  • Exu Tira-Teima
  • Exu Toquinho
  • Exu Treme Terra
  • Exu Três Encruzilhadas da Perdição
  • Exu Três Penas
  • Exu Tronco
  • Exu Tronqueira
  • Exu Trovoada
  • Exu Tuniquinho
  • Pombagira Akiesan
  • Pombagira Aruá
  • Pombagira Carangola
  • Pombagira da Lomba
  • Pombagira das Cachoeiras
  • Pombagira das Cobras
  • Pombagira das Flores
  • Pombagira de Belém
  • Pombagira de Maceió
  • Pombagira de Mafia (da Ilha de Mafia na África)
  • Pombagira de Pemba (da Ilha de Pemba naÁfrica)
  • Pombagira Detê
  • Pombagira do Bananal
  • Pombagira do Jardim
  • Pombagira do Luar
  • Pombagira do Oriente
  • Pombagira do Rio
  • Pombagira do Sol e da Lua
  • Pombagira Ganzá
  • Pombagira Kirombô
  • Pombagira Maleva
  • Pombagira Maria Alagoana (de Alagoas)
  • Pombagira Maria Bahiana (da Bahia)
  • Pombagira Maria Colodina
  • Pombagira Maria da Praia
  • Pombagira Maria das Almas
  • Pombagira Maria de Minas (de Minas)
  • Pombagira Maria Farrapos
  • Pombagira Maria Lixeira
  • Pombagira Maria Mulambo
  • Pombagira Maria Navalha
  • Pombagira Maria Quitéria
  • Pombagira Maria Rosa
  • Pombagira Maria Tunica
  • Pombagira Moça Bonita
  • Pombagira Mundana
  • Pombagira Rosa Amarela
  • Pombagira Rosa Caveira
  • Pombagira Rosa Preta
  • Pombagira Rosa Roxa
  • Pombagira Rosinha
  • Pombagira Sete Chocalhos
  • Pombagira Sete Cores
  • Pombagira Sete Estrelas
  • Pombagira Sete Maridos
  • Pombagira Sete Ondas
  • Pombagira Sete Saias

quinta-feira

Reza Brava para os Enfermos sao cipriano

Reza Brava para os Enfermos


Para se saber se a moléstia é natural ou sobrenatural, deve-se dizer esta oração em
latim, para que sem entender o que é dito o enfermo não interfira no resultado:
"Praecipitur in Nomine Jesus, ut desinat nocere aegroto, statim cesse delirium, et illuo ordinate discurrat. Si cadat, ut mortuus, et sine mora surget ad praeceptu. Exortistae factu in Nomine Jesus. Si in pondere assicitur, ut a multis himinibus elevaret non aliqua parte corporis si dolor, vel tumor, et ad signo Crucis, vel imposito praecepto in nomine Jesus cessat. Si side causa velit sibi morte inserre, se praecipite dure. Quando imaginationi, se praesentat res inhonestae contra Imagines Christi, et Sanctorum, et si eorem tempore sentiant in capit, ut plumbum, ut aguam frigidam, vel ferrumignitem, et hoc fugit ad signum Crucis vel incovato Nomine Jesu. Quando Sacramenta, Reliquias, et res sacros edit ; quando nulla praecedente tribulation, desperat, se dilacerat. Quando subito patenti lumen aufertur, et subito restitutur ; quando diurno tempora nihil vidit, et nocturno bene vidit et sine fuce lugit epistolam: si subito siat surdus, te postae bene audiat, non solun materialia, sed spiritualia. Si per septem, vel novem dies mihil, vel parum comelens fortis est, et pinguis, sicut antea. Si loquitur de Mysteris ultra suas capacitatem, quando nun custat de illius sanctitite. Quando ventus vehemens discurrit per totum corpus ad mudum formicarum; quando elevatur corpus contra volutatem patientes, et non apparet a quo leventur. Clamores, scissio vestium, arrota-tines dentium, quando potiens non est stultus : vel quando honro natura debilis non potest teneri a multis. Quando haber liguem tumidam, et ni gram, quando audiuntur rugitus leonum, balatus ovium, latra tus canun, porco-rum grumitus, et similium. Si vairepraeter naturam vident, et audiunt, si homines maximo odio perseuntur ; si praecipitis se exponunt, se oculos horribiles habent, remanent, sensibus destituti. Quando corpu talibenedicti, quando ab Aeclesia fugit, et aguam benedictan non consentit: quando iratos se ostendune contra Ministros superdonentes Relíquias capiti (eti occulte). Quando Imagines Cristi, et virginis Mariae nolunt inspicere sed conspuunt, quando verba sacra nolun, profere, vel si proferant, illa corrumpunt, et balbat cienter student prefere. Cum superposita capiti manu sacra ad lactionem Evangeliorum conturbatum aegrotus, cum plusquam solitum palpitaverit, sensus occupantum, gattaes sudoris destuunt, anxietates senta; stridores usque xxx ad Caelum mittit, sed posernit, vel similia facit. Amém”.



para forçar seu amor a pensar em você
A FALANGE DAS CRIANÇAS SIGNIFICADO DOS SONHOS magos da luz: CARTA DE UM ESPÍRITO PARA UM VICIADO
frases da Invocação do Sábio Salomão ERVAS magicas
teste vidas passadas
acenda uma vela a nossa senhora aparecida

quarta-feira

Oração da manhã

, no início deste dia,
venho pedir-Te saúde,
força, paz e sabedoria.

Quero olhar hoje o mundo
com olhos cheios de amor,
ser paciente, compreensivo,
manso e prudente;
ver, além das aparências,
teus filhos como Tu mesmo os vês,
e assim não ver senão o bem em cada um.

Fecha os meus ouvidos a toda a calúnia.
Guarda a minha língua de toda a maldade.
Que só de bênçãos se encha o meu espírito.

Que eu seja tão bondoso e alegre,
que todos quantos se aproximarem de mim,
sintam a tua presença.

Senhor, reveste-me da tua beleza,
e que, no decurso deste dia,
eu Te revele a todos.

Amém.

sábado

Médiuns Novos (Médiuns Iniciantes de Umbanda)

Médiuns Novos (Médiuns Iniciantes de Umbanda)

Venho falar hoje sobre alguns fatos que observado em alguns "mediuns novos"
É comum sentir medo, receio, a velha pergunta "o que é que eu to fazendo aqui no meio do terreiro, to ficando louco???"
Tudo muito natural, porém em alguns casos, existem irmãos que passam a se sentir donos de certos “poderes" não é tão incomum ouvir histórias do tipo "agora eu incorporo, então é só pedir tal coisa para meu guia que logo alcançarei...”
Mas o pior é quando o recém nascido médium passa a BRINCAR com os guias, o médium ainda está em desenvolvimento, na gira ainda, mas ele se envaidece tanto, que começa a achar que já está no “super nível” de pai de santo, ele passa a incorporar em casa por qualquer motivo, passa a querer dar consultas, e mal entrou na gira e já está "recebendo com firmeza", aí meus irmãos... mora o grande perigo, espíritos que gostam de brincar vagam por aí o tempo todo, como semelhante atrai semelhante, é muito fácil que esses espíritos se aproveitem desse irmãozinho desavisado...
Como o médium ainda está no comecinho de sua gira, não sabe ainda discernir as energias, pois ainda é tudo muito confuso, os guias diante de tal situação vão se afastando, até mesmo diante da energia que o médium apresenta, então quem vai se aproximar desses médiuns? Esses espíritos, e começam a brincar da mesma maneira, até que em determinado momento o guia chefe da casa tem de intervir e o médium passa literalmente VERGONHA!
Não adianta dizer: Ah mas eu não sei o que aconteceu, por que esse quiumba (cada um chama como preferir, costumo chamar de quiumba) se aproximou e tomou conta dessa forma...
Ora meus irmãos, orai e vigiai, vamos analisar nossos próprios atos, ser médium é um dom maravilhoso, porém uma responsabilidade muito grande, a partir do momento que nos dispomos ao desenvolvimento estamos nos comprometendo com o plano espiritual, e eles não estão aqui para serem chamados para dizer se devo ou não aceitar um namoradinho novo, se devo ou não pedir aumento para meu chefe!!!
É certo que pedindo com fé o auxilio virá, em forma de sonhos, intuição, ou seja lá qual for a forma que eles encontrarão para nos auxiliar, mas ficar chamando o tempo todo é abuso, eles também têm seu trabalho a fazer no plano espiritual!!! Ficar brincando de receber Guia é um ato muito perigoso sem falar que é triste, pois está alimentando a vaidade!!
Quantos casos já ouvimos de fulano que estava em desenvolvimento e começou a chamar guias em casa ou na casa de amigos para consultas, e na hora que o " bicho pega " acaba se prejudicando e puxando para si cargas pesadas demais para seu grau mediúnico!!! E os que se utilizam de seus guias para amedrontar os da família? Ou para mandar e desmadar diante da CAPA do guia? Brincam com sentimentos e com a vida das pessoas! "Meu guia mandou dizer que é pra você não falar mais com tal pessoa" ou "Meu guia mandou dizer que é pra você fazer isso ou aquilo por mim que você será recompensado por ele" E o engraçado é que quando o guia vem em terra ele nem fala!!! Respeito, meus irmãos, não faça ao próximo o que não gostaria que fizessem a você, apenas respeite os guias e as pessoas igualmente!!!
Não é necessário ENDEUSAR o Guia, nem para si nem para os outros, esteja certo de que ele é muito mais humilde do que você pinta por aí, e nem está interessado em mandar e desmandar na vida pessoal de ninguém, é certo que diante de perigos eles nos irão alertar, mas daí temos o livre arbítrio de aceitar ou não o conselho!
Admiro muito as casas que dão "educação" a seus filhos de santo, é importantíssimo que os médiuns sejam devidamente orientados para que não caiam nesse tipo de armadilha armada por eles mesmos e pela vaidade que alimentam!! E ainda assim, não duvidem sempre acontece com um ou outro, mesmo diante de uma orientação responsável e correta ainda erram... Porque?
Por serem humanos, todos nós estamos passiveis de erros, mas se formos orientados ou lermos em alguma "lista da internet" o que alguma maluca escreveu poderemos prestar mais atenção para não errar e sofrer lá adiante...
Abraços fraternos Taty - Grupo Povo de Aruanda
Calma, determinação, força, objetividade, confiaça, espiritualização... Irmãos... um passo de cada vez! Mediunidade é coisa Santa e devemos vivê-la Santamente... Paz e Luz na Coroa de todos os Irmãos Mediuns de Umbanda.

Médium Em Desenvolvimento. Onde Está a Minha Coroa?

Médium Em Desenvolvimento. Onde Está a Minha Coroa?



Em alguns terreiros de Umbanda é comum a confirmação ao trabalho de um médium em desenvolvimento através do ritual conhecido pelo nome de Coroação. Já outros terreiros usam o ritual do Amaci (lavagem da cabeça com ervas específicas) como ato confirmatório da preparação ao serviço mediúnico daquele que por alguns meses ou anos freqüentou a corrente e participou das giras de desenvolvimento. Já outros terreiros sequer utilizam algum ritual preparatório.
Os chefes verificam a incorporação e o teor de algumas mensagens das entidades incorporadas e depois enviam o médium para o trabalho na corrente. Tais procedimentos, entretanto, variam de uma casa para outra. Como não há nenhuma determinação geral e única, cada agrupamento de umbandistas pratica aquilo que aprenderam com seus pais ou mães de santo e perpetuam o ritual em seus templos.
A coroação do médium não se restringe a apenas uma lavagem de cabeça com ervas aromáticas, ou raspagem, ou cortes, ou quaisquer outros rituais meramente externos de demonstração pública. Considerando todas as etapas do processo de preparação, o médium em desenvolvimento não perde seu tempo em interrogações inoportunas ao Dirigente ou ao Guia-Chefe pelo dia em que será finalmente coroado.
A espera é salutar, mas a pressa torna o aprendizado deficiente. A ansiedade, a intemperança e a impaciência são entraves para um saudável processo de aprendizado e um manuseio firme e seguro do seu instrumento de trabalho, a mediunidade. Uma corrente de Umbanda é composta basicamente de médiuns em preparação, médiuns preparados e Guias Espirituais. O preparo do médium que irá servir de instrumento dos Mentores Espirituais da Umbanda é etapa importante para o bom e seguro trabalho de uma corrente umbandista.
Essa preparação engloba tantos passos que grande parte dos médiuns em desenvolvimento desistem do serviço sacerdotal que iriam desempenhar. O fato é que muitos não aprenderam a controlar seus impulsos e gostariam de já estar “trabalhando” com seus Guias. Acreditam que somente o fato de sentir “uma vibração” intensa das Entidades já é suficiente para ouvir o consulente, aplicar-lhe passes e rezas, receitar obrigações, oferendas e banhos ou realizar trabalhos de desmanches de magia – serviço muito perigoso, mas comum nos terreiros de Umbanda.Os médiuns em preparação, ou em desenvolvimento, desconhecem algumas nuances da mediunidade que podem ser prejudiciais a si mesmos e até mesmo a todo o corpo mediúnico. Não têm a percepção de que a mediunidade pode ser-lhes útil ou poderá se transformar num grande trampolim colocado à beira de um precipício.
Tal a necessidade do preparo acompanhado de perto pelo Guia-Chefe e sob os olhos sempre atentos do Dirigente Espiritual do Terreiro.O médium que age pelo impulso é comparável àquele discípulo que mereceu várias vezes as reprimendas de Jesus Cristo, tamanha era sua impulsividade. Por impulso, Pedro arrancou a orelha de um soldado. Noutra ocasião, o mesmo Pedro que antes havia sido corrigido por Jesus exclamou que iria para a cruz no lugar do Mestre. Também por impulso, o apóstolo respondeu a Jesus, logo depois da Ressurreição, que o amava. O indivíduo que usa a mediunidade sem o devido preparo é como o homem que empunha a espada sem o treino da habilidade: fatalmente alguém sairá ferido no fim das contas.Pedro teve que aprender a controlar os impulsos e, acima de tudo, a ser paciente.
A paciência é uma virtude que deve ser cultivada por todo aquele que deseja servir à Espiritualidade Maior.O primeiro passo que o postulante ao exercício mediúnico deve dar, a partir da real compreensão do chamado realizado pelos Mentores da Corrente Astral da Umbanda é o abandono dos velhos costumes por uma promessa de grandes resultados futuros.
Assim como Pedro abandonou a rede que consertava e iniciou uma trajetória de aprendizado contínuo, o médium em desenvolvimento literalmente lança ao chão os velhos dogmas e as concepções errôneas acerca da vida espiritual, da caridade e do seu papel na vida comum.As palavras ”é necessário ao homem nascer de novo” implicam em deixar para trás todas as amarras do velho homem que todos levam consigo para as correntes mediúnicas, sejam em formas de pensamentos, atitudes ou visões do exterior.
É preciso deixar para trás alguns conceitos que outrora cultivou com tanto afinco e sem resultado concreto, tal como a crença em condenações eternas, ou o temor a um Deus vingativo e cruel, ou a unicidade da existência, ou ainda a religiosa supremacia de uma única raça e a demonização de irmãos e amigos desencarnados. Conceitos que afastam o médium de sua importância no intercâmbio espiritual e o lança a um mundo materialista e obscuro.
A próxima etapa nesse vagaroso processo de aprendizado é a caminhada diária e constante, sempre guiado pelo Mestre e Amigo. Pedro, assim como os demais discípulos, precisou caminhar ao lado de homens que mal conhecia. Alguns deles até mesmo eram mal-vistos pela tradição religiosa da época. E, nessa caminhada diária, muitas coisas viu e ouviu do Mestre Nazareno. Nas idas e vindas pelas terras da Judéia, Pedro atravessou um longo estágio de aprendizado.
O médium em preparação carece de um tempo para assimilar todas as coisas que ouvirá do Guia Espiritual e todas as informações são dosadas diariamente. Não se aprende tudo em um único dia ou em um único mês. É preciso tempo e observação constante de tudo o que estará vivenciando ao longo dos meses. Há que compreender também as diferentes opiniões e modos de agir dos seus irmãos de corrente.

O desenvolvimento envolve, ainda que dolorosamente, a aceitação das diferenças comportamentais, ideológicas, religiosas, sociais e morais de co-participantes dos rituais umbandistas. Mesmo que tenha um pouco mais de conhecimento, não deverá se colocar acima dos demais como o senhor da verdade apontando-lhes as falhas e os tropeços da caminhada.A oração constante, a busca pela essência divina e o esforço por uma vida espiritual mais elevada devem estar no trabalho individual de preparação ao serviço mediúnico nos terreiros de Umbanda. Para obter grandes e preciosas inspirações dos Mentores de Aruanda, o médium em desenvolvimento colocar-se-á em humilde posição de alma necessitada e buscará a força necessária através de horas de conexão com o Plano Superior.
Assim, terá experiência suficiente para discernir entre a comunicação de um Guia Superior ou a ardilosa verborragia de uma Entidade embusteira.A confirmação para o trabalho mediúnico chegará no tempo certo não sem antes a verdadeira compreensão do ministério repetido várias vezes dentro de si. Como fez o discípulo quando interpelado pelo Cristo sobre o seu amor incondicional.
Após a confirmação íntima de sua responsabilidade como médium a serviço da Espiritualidade Maior, virá do Alto o poder necessário para desempenhar o trabalho corretamente. É quando descem da Corrente Astral as irradiações poderosas dos Orixás que formam as Sete Linhas de Umbanda. A partir daí, o médium poderá ter sua “coroa” confirmada pelo Guia Chefe e pelos seus próprios Mentores.
Por: Julio Cezar Gomes Pinto

O Umbral e as Colonias Espirituais

O Umbral e as Colonias Espirituais


Localiza-se em um universo paralelo que ocupa um espaço invisível aos nossos sentidos que vai do solo terrestre até a algumas dezenas de metros de altura na nossa atmosfera.
O tempo, e as condições climáticas do Umbral seguem um ritmo equivalente ao local terrestre onde se encontra. Quando é noite sobre uma cidade, é noite em sua equivalência no Umbral. A névoa densa que cobre toda atmosfera dificulta a penetração da luz solar e da lua. A impressão que se tem é que o dia é formado por um longo e sombrio fim de tarde. A noite não é possível ver as estrelas e a lua aparece com a cor avermelhada entre grossas nuvens. Sua maior concentração populacional está junto as regiões mais populosas do globo.
Encontramos cidades de todos os portes, grupos de nômades e espíritos solitários que habitam pântanos, florestas e abismos. 
É descrito por quem já esteve lá como sendo um ambiente depressivo, angustiante, de vegetação feia, ambientes sujos, fedorentos, de clima e ar pesado e sufocante. Para alguns espíritos é uma região terrível e horripilante. Para outros é o local onde optaram viver. A vegetação vária de acordo com a região do Umbral. Muitas vezes constituída por pouca variedade de plantas. As árvores são normalmente de baixa estatura, com troncos grossos e retorcidos, de pouca folhagem. Existem também áreas desertas, locais rochosos, e lugares de vegetação rasteira composta de ervas e capim. É possível encontrar alguns tipos de animais e aves desprovidos de beleza. No Umbral se encontram montanhas, vales, rios, grutas, cavernas, penhascos, planícies, regiões de pântano e todas as formas que podem ser encontradas na Terra.
Como os espíritos sempre se agrupam por afinidade (igual a todos nós aqui na Terra), ou seja, se unem de acordo com seu nível vibracional, existem inúmeras cidades habitadas por espíritos semelhantes. Algumas cidades se apresentam mais organizadas e limpas do que outras. Todas possuem espíritos lideres que são chamados de diversos nomes: chefes, governadores, mestres, presidentes, imperadores, reis, etc. São espíritos inteligentes mas que usam sua inteligência para a prática consciente do mal. São estudiosos de magia, conhecem muito bem a natureza e adoram o poder, quase sempre odeiam o bem e os bons que podem por em risco sua posição de liderança.
Há grupos de pessoas nas cidades que trabalham para os chefes. Acreditam ter liberdade e muitas vezes gostam de servirem seu chefe na ansiedade pelo poder e status. Consideram-se livres, mas na verdade não o são, ao menor erro ou na tentativa de fugir são duramente punidos.
Existem os espíritos escravos que vivem nas cidades realizando trabalho e mantendo sua estrutura sem receberem nada em troca além da possibilidade de lá morarem. São duramente castigados quando desobedecem e vivem cercados pelo medo imposto pelo chefe da cidade.
As cidades possuem construções semelhantes as que encontramos nas cidades da Terra. As maiores construções são de propriedade do chefe e de seus protegidos. Sempre existem locais grandiosos para festas, e local para realização de julgamentos dos que lá habitam. Em cada cidade existem leis diferentes especificadas pelos seus lideres. Lá também encontramos bibliotecas recheadas de livros dedicados a tudo que de mal e negativo possa existir. Muitos livros e revistas publicados na Terra são encontrado lá, principalmente os de conteúdo pornográfico.
Pode-se se perguntar. Porque é permitido que existam estes chefes e desta estrutura negativa de tanto sofrimento? Deus nos permite tudo, ele nos deu o livre-arbítrio. O homem tem total liberdade para fazer tudo de ruim ou tudo de bom. Quando faz ou constrói algo de ruim acaba se prejudicando com isso e aos poucos, com o passar de anos ou de séculos vai aprendendo que o único caminho para a libertação do sofrimento e da felicidade plena é a prática do bem. A vida na Terra e no Umbral funciona como grandes escolas onde aprendemos no amor ou na dor.
Ninguém vai para o UMBRAL por castigo. A pessoa vai para o lugar que melhor se adapta a sua vibração espiritual. Quando deseja melhorar existe quem ajude. Quando não deseja melhorar fica no lugar em que escolheu. Todos que sofrem no Umbral um dia são resgatados por espíritos do bem e levados para tratamento para que melhorem e possam viver em planos de vibrações superiores. Existem muitos que ficam no Umbral por livre e espontânea vontade se aproveitando do poder e dos benefícios que acreditam ter em seus mundos.
Além das cidades encontramos o que é chamado de Núcleos. Não constitui uma cidade organizada como conhecemos, mas se trata de um agrupamento de espíritos semelhantes. Os grupamentos maiores e mais conhecidos são os dos suicidas. Estes núcleos são encontrados nas regiões montanhosas, nos abismos e vales. Por serem espíritos perturbados são considerados inúteis pelos habitantes do Umbral e por isto não são aceitos e nem levados para as cidades em volta. Os vales dos suicidas são muito visitados por espíritos bons e ruins. Os bons tentam resgatar aqueles que desejam sair dali por terem se arrependido com sinceridade do que fizeram. Os espíritos ruins fazem suas visitas para se divertirem, para zombarem ou para maltratarem inimigos que lá se encontram em desespero. Não é difícil imaginar um local com centenas de milhares de pessoas que cometeram suicídio, todas ali unidas, sem entender o que está acontecendo já que não estão mortas como desejariam estar.
Existem os núcleos de drogados onde também existem pequenas cidades. Existem algumas poucas cidades de drogados de porte grande no Umbral. Realizam-se grandes festas e são cidades movimentadas. Existem relatos psicografados sobre uma região de drogados chamada de Vale das Bonecas e cidades como a de Tongo que é liderada por um Rei. Para todo tipo de vício da carne existem cidades e núcleos de viciados. Por exemplo, existem cidades de alcoólatras ou de compulsivos sexuais. Todos os viciados costumam visitar o planeta Terra em bandos para sugarem as energias prazerosas dos vivos que possuem os mesmos vícios.
É comum a existência de núcleos de marginais. Locais onde estão reunidos assaltantes, assassinos, ladrões, traficantes, e outros tipos de criminosos em sintonia mútua.
Nas regiões fora das cidades e longe dos núcleos encontramos andarilhos solitários, espíritos considerados inúteis até pelos povos de cidades e núcleos do Umbral.
Grandes tempestades de chuva e raios ocorrem em todo Umbral. Tem importante função de limpar os excessos de energias negativas acumuladas no solo e no ar, tornando o ambiente menos insuportável aos seus habitantes.
As cidades, tribos e vilarejos do Umbral normalmente possuem chefes ou lideres. São pessoas inteligentes com capacidade de liderança que costumam controlar, dominar e explorar as almas que nestas cidades residem. Como pode ver não é muito diferente da vida aqui na Terra onde temos exploradores e explorados. Exercem seu controle a partir do medo, das mentiras, da escravidão, de regras rígidas e violência. Algumas sabem que estão no Umbral e sabem que trabalham pelo mal das pessoas. Seu reinado não dura muito tempo já que espíritos superiores trabalham para convencer sobre o mal que faz a si mesmo fazendo o mal aos outros. É comum que estes “chefes” desapareçam inesperadamente destas cidades por terem sido resgatados por bons Samaritanos em sua missão. Em pouco tempo uma nova liderança acaba assumindo o posto de chefe nestas cidades.
As regiões umbralinas são as que mais se parecem com a Terra. Os espíritos por estarem ainda muito atrelados a vida material, por lhe faltarem informação e conhecimento acabam vivendo suas vidas como se realmente estivessem vivos. As necessidades básicas do corpo acabam se manifestando nestes espíritos. Sofrem por sentirem dores, sono, fome, sede, desejos diversos.
No Umbral encontramos grupos de pessoas que se consideram justiceiras. Coletam espíritos desorientados em hospitais, cemitérios, e no próprio umbral. Pessoas que fizeram muito mal a outras durante a vida ou em outras vidas, e pessoas que fizeram poucos amigos e por isto não tem quem as possa ajudar. Estes espíritos sedentos de vingança e de justiça feita pelas próprias mãos conseguem aprisionar e escravizar as pessoas que capturam. Acreditam que as pessoas que estão no Umbral só estão lá por merecimento. E isto não deixa de ser verdade. Mas no lugar de ajudar estas pessoas eles a maltratam por vingança e ódio pelo mal que cometeram em quanto estavam vivas.
Somente quando estas pessoas se arrependem dos erros que cometem na Terra e esquecem os sentimentos negativos que ainda nutrem é que os espíritos mais elevados conseguem se aproximar para seu resgate.

Ensinamento de um Exu Mangueira

Ensinamento de um Exu Mangueira


O tempo é senhor da verdade e no tempo certo ele punirá que se atreveu a caminha na falsidade, desonestida e deslealdade e premiará todos que não se afastaram da verdade, hosnetidade e sinceridade.
Não vire as costas a seus amigos ou a quem lhe estendeu a mão um dia, para quem te der  as costas, saiba que perdeu muito mais que um amigo.
Na existência da vida, nada é ou será construído ou conquistado sozinho, sendo assim, para chegar ou vencer conquiste e preserve amigos.
Folha seca não serve nem de adubo se for levado pelo vento. Pessoas que se deixam levar por palavras que não fazem sentido, nunca encontraram sentido em suas vidas.
O respeito dos outros somente será conquistado quando você aprender a respeitar  e aceitar você como você realmente é.
Não pense em ter mais, novas conquistas em sua vida somente haverá e acontecerá quando você aprender a valorizar e a preservar o que já conquistou. Sem isto, as conquistas nada somaram, pois nada haverá a ser somado. Ganhar e perder, nada valem, não importa quanto ganhe sempre se sentirá derrotado. Mas se você preservar suas conquista, por menos que conquiste sempre  será visto, respeitado, valorizado e se sentira um grande vencedor.
Exu não tem sentimento, tanto faz “bater” ou “derrubar”, cumprimos nossa missão e temos prazer em fazer com  excelência. Mas isto, não quer dizer que não tenhamos apresso ou apego. A quem demonstra valor, respeito e reverencia nos apegamos.
Não é justo ou verdadeiro derrubar quem esta no chão. O bom é derrubar que acha que esta bem  alto e quanto mais alto melhor. Se merecimento tiver, vamos elevá-lo no ponto mais alto, só para ouvir melhor o barulho do tombo.
Não importa quanto caído esteja! No seu merecimento, na sua reverencia e respeito,  vamos ter força  para  tira-lo do buraco mais fundo que possa existir e levantá-lo ao ponto mais alto que você faça por merecer.
Exu é o mais dedicado servo do criador. Pois abriu mão de caminha na luz, para ser a mão e os olhos que ampara os perdidos,  que por conta do sentimentos negativos estão na estrada da escuridão que não leva a lugar nenhum. Só exu pode nos reconduzir a luz, só ele conhece o caminho de retorno!
Exu não é amigo ou inimigo. Ele é a verdade, o caminho, o mestre, o caminho.  Não tem dó ou piedade, fará tudo que for necessário para que tenhamos em nossa vida o merecimento que fizermos pro merecer.
Fonte http://www.temploestrelaguia.com.br/

Postagens populares

entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Google+ Followers

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs