publicidade

pesquise aqui sua simpatia

----------------------------------------------
Custom Search
--------------------------------------------

publicidade

----------------------------------------- ----------------------------------------------- -----------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira

GUARDIÃO EXU

GUARDIÃO EXU, O EXECUTOR CÁRMICO DO VAZIO

Ao falarmos de Exu, parece que estamos “chovendo no molhado” mas ao descreve-lo da forma que iremos fazer, estamos chovendo em solo muito seco e árido. Sabemos que Exu tira com a mão esquerda e devolve com a mão direita.

Se estivermos negativos e agindo de forma negativa, Exu tira a nossa alegria desvitalizando-nos, pois quem atua de forma negativa contra seu semelhante, não merece sorrir e esbanjar alegria. Mas Exu também devolve a alegria quando passamos a agir positivamente, pois só quem faz o bem pode sorrir e esbanjar felicidade. Exu tira quando nos negativamos e devolve quando nos positivamos.

Por isso dizemos que o mistério Exu na origem é neutro, porem no meio ele não tem o livre arbítrio, pois no meio ele é regido pela Lei Maior e por uma de suas leis auxiliares que é a Lei do Carma e cobra quem deve e paga quem merece.
Se estivermos agindo negativamente contra um semelhante, Exu tira a nossa saúde desvitalizando-nos e adoecendo-nos, pois quem agir contra um semelhante roubando-lhe a tranqüilidade mental, não merece ter saúde, força e disposição para tal feito. Mas Exu também devolve a saúde revitalizando-nos quando passamos a agir positivamente, pois só depois de estarmos doentes (ausentes de Deus) é que vamos perceber o quanto é bom ter saúde (plenitude em Deus) e nos voltarmos para Ele, nos redimirmos, fazermos uma reforma intima e nos positivarmos e ai sim, exu devolve nossa saúde, pois aquele que faz o bem e é virtuoso deve ter saúde, força, disposição e vitalidade para ajudar o próximo.

Exu é o guardião que dá e tira, é o Orixá que tira-dando e dá-tirando, pois devolve a doença e tira a saúde, isso quando estamos agindo negativamente contra uma pessoa e tira a doença e devolve a saúde, isso quando estamos positivos, virtuosos e semeando o bem. Exu nos ampara quando estamos virtuosos e nos esgota e pune quando estamos viciados.

Exu enquanto elemento mágico-espiritual ativado e oferendado na natureza, não possui livre arbítrio, para essa força ativada em nosso nível não há principio, só meio e quando falamos PRINCIPIO, isso tem o significado de origem, pois na origem exu é neutro e no meio ele é dual e assume a natureza intima que lhe derem, pois não tem livre arbítrio. Se avançarmos na lei do carma num estudo racional e pensarmos de forma imparcial, veremos exu como executor da lei do carma à serviço da Lei Maior, pois em verdade não recebemos uma demanda ou ao menos um pensamento negativo sem merecermos, pois até um espírito sofredor ou um obcessor nos é ligado por afinidades concernentes a lei carmica. Nessa encarnação podemos até ser pessoas de bem e virtuosas, porem devido ao nosso adormecimento na carne, não sabemos o que fomos em outras encarnações, pois podemos ter débitos de uma encarnação ocorrida à cinco mil anos atrás e só agora que estamos aptos, ou seja com um nível de consciência elevada, somos cobrados pela Lei Maior onde, a lei do carma entra em execução para saldarmos a nossa divida para com um ato cometido quando estávamos em desequilíbrio.

Uma ação negativa ela sempre tem um inicio e não importa quando, um dia prestaremos conta da mesma. Servindo-se de um exemplo dizemos assim: Dois amigos que entre eles nunca houve um antagonismo que pudesse abalar sua amizade, porem por um motivo de ciúmes uma das partes toma uma atitude negativa assassinando o outrora amigo, atitude esta que ira marcar para sempre seu espírito. Podemos relatar aqui, por exemplo, Caim e Abel, os dois irmão bíblicos. Ali na gênese relata que Caim teria sido um dos primogênitos que havia nascido na terra de gravidez normal resultante de relações humanas sexuais entre Adão e Eva, Tanto ele quanto Abel teriam sido “supostamente os primeiros” seres humanos encarnados, pois eles não viviam no “paraíso” com seus pais e “nasceram” aqui na terra.

Pois bem nessa historia devemos nos atentar para a verdade oculta por traz da alegoria, se não vejamos: Os dois espíritos estavam na sua primeira encarnação, eram espíritos naturais que haviam adentrado em seu primeiro ciclo encarnacionista e estavam isentos de débitos e não possuíam carmas anteriores. Através de um sentimento negativo tipicamente desumano que é a inveja, um dos muitos sentimentos negativos que nos afastam de Deus tornando-nos vazios de sua plenitude, Caim adquiriu seu primeiro carma ao matar seu irmão Abel, ali os dois estavam isentos de carmas, pois eram espíritos que estavam realizando seu primeiro ciclo encarnatório, porem Caim adquiriu seu primeiro carma e um dia não importa quando a Lei Maior cobraria essa pendência ou carma que foi adquirido em um ato negativo quando Caim em desequilíbrio e ausente de Deus, cometeu esse pecado por estar vazio de sentimentos positivos (Deus) e como quem rege o vazio ou o estado do vazio é Exu, O Senhor Guardião das Esferas dos Vazios, onde tudo que se negativa torna-se vazio, pois Deus é plenitude e virtuosismo e fora Dele (vicio) nada existe e ninguém sub-existe, então todos os seres que em seu vazio relativo preenchidos com sentimentos viciados sejam eles de ódio, inveja, traição, cobiça, fúria, intolerância, etc, adentra no campo desse guardião do vazio que é Exu para que assim possam ser esgotados dos seus vazios relativamente cheios de sentimentos negativos.

Sendo assim, Exu é guardião desses vazios e a Lei Maior usa de seu mistério com intensidade como executor de carmas que só é adquirido quando infringimos a Lei Maior, ou seja, quando em desequilíbrio ou desarmonia (ausência de Deus) Cometemos algum ato negativo. Se Deus é harmonia e equilíbrio, os antônimos desses dois estados estão indicando um vazio relativo ou uma ausência de Deus e sabemos que fora de Deus nada existe.

Exu O Orixá é uma Divindade Planetária ou Divindade Maior de Deus, tem suas hierarquias de seres que trabalham sobre a Sua irradiação. Tem suas divindades médias, menores, classes de seres divinos, seres elementais,naturais, até chegar ao nosso nível que são de seres espiritualizados e humanizados.

Não podemos jamais confundir a Divindade Maior Exu com espíritos exunizados que nós trabalhamos ou espíritos elementais naturais que nós oferendamos. Devemos distinguir a Divindade Maior Regente de um Mistério de Deus, dos seres que somente manifestam essas qualidades, para que assim não venhamos a descaracterizar e nem humanizar demais uma Divindade cuja natureza e origem é divina e que atua em toda a criação e não esta somente voltada para nós ou para nossa realidade. Não podemos confundir o Orixá Maior Exu , com os espíritos que se manifestam e incorporam sobre sua regência, pois esses espíritos estão em evolução, quanto o Orixá Maior Exu, é uma Divindade Maior de Deus e que realiza sua função em toda a criação de Deus amparando todas as criaturas geradas pelo Divino Criador.

Então o Orixá Maior Exu na origem Ele é neutro e guarda o estado do vazio, no meio espiritual a Lei Maior utiliza esses espíritos que foram exunizados ou utiliza espíritos vazios para executar carmas adquirido por nós não importando quando adquirimos esses débitos, pois a semeadura é livre e a colheita é obrigatória e no fim esta a onisciência de Deus que tudo sabe e somente quando estivermos elevados e adquirirmos uma consciência maior de suas Leis, tem inicio a colheita dos vazios que semeamos, pois já amadurecemos como seres humanos e estamos aptos a colher os frutos amargos que plantamos enquanto estávamos também vazios de sentimentos. Precisamos entender que até um espírito obcessor que nos tira a paz, esta ligado carmicamente conosco por fios invisíveis e devemos meditar quanto essa atuação, pois na maioria das vezes ela não esta refletida em um ato dessa encarnação e sim de outras vidas e a vitima de hoje talvez tenha sido o algoz de ontem.

Sendo assim, exu enquanto elemento mágico ativado em um ponto de força na natureza, não possui livre arbítrio e a lei utiliza-se desse meio e condição dos espíritos exunizados para atuar através deles na lei do carma e ir esgotando os débitos e devolvendo os créditos, permitindo assim que a semeadura seja livre, porem a colheita obrigatória.

SARAVÁ UMBANDA

publicado 21/12/2010 por Pablo Araujo de Carvalho
Fonte: http://www.webartigos.com/articles/55316/1/GUARDIAO-EXU-O-EXECUTOR-CARMICO-DO-VAZIO/pagina1.html#ixzz1E2uYuSPp
-->

OFERENDAS NA UMBANDA

AS OFERENDAS NA UMBANDA

Desde a mais longínqua antigüidade o ser humano sempre tentou alcançar as benesses de seres superiores, seus deuses, através de presentes que julgavam ser do agrado destes.

Sem entrar muito profundamente na história de cada religião, podemos ver alusões a oferendas, inclusive com matança de animais até mesmo no chamado Antigo Testamento, tendo sido inclusive o fato de Jeová não ter aceito a oferenda de Caim tão bem quanto aceitou a de Abel o que desencadeou no ciúme, inveja e posterior assassinato de um pelo outro.

É certo também que com o passar dos tempos, muitos hábitos antes tidos como fundamentais, foram se modificando em todas as Religiões e Seitas, baseados na pressuposição de que não teriam real fundamento porque o Deus que procuravam não poderia mais ser ligado a presentes materiais como os que então eram oferecidos.
Aprendemos que se entidades que não chegam a serem deuses, por não terem alcançado um nível evolutivo maior, já não se prendem às coisas materiais, que dirá um Deus ou mesmo um "Orixá", seja ele quem for. Por que então as oferendas na Umbanda? Por acaso não seria para alcançar as benesses dos Orixás e do próprio DEUS? Sabendo que os Orixás são irradiações puras do criador e não necessitam dessas oferendas, então quem realmente as recebe? Quem as recebe são entidades conhecidas como Elementais da Natureza, também conhecidos por Espíritos da Natureza.
Os Elementais podem ser compreendidos, sob uma definição laica, como seres, criaturas físicas ou espirituais, que habitam os quatro reinos da natureza (água, fogo, terra e ar) e podem exercer influência sobre os seres vivos. Elementais também é o nome dado em algumas religiões a todo e qualquer espírito existente na natureza segundo a crença no “Animismo”1. Também são conhecidos como personagens fictícios, que representam a natureza e que seriam capazes de controlar seus elementos e os representar.

São eles:

· Silfos - os elementais do ar;

· Salamandra - os elementais do fogo;

· Ondinas - os elementais da água;

· Gnomos - os elementais da terra.

O trato com Elementais pode ser perigosíssimo para os que não sabem se precaver, e é por isso mesmo que na Umbanda, o trato com esses seres é feito através daqueles que realmente sabem e podem, com segurança, determinar junto a eles as diretrizes desse ou daquele trabalho. Não é que seja tão difícil entrar em contato com eles, o problema está, principalmente, na tendência dos humanos quererem fazer desses seres os seus "geninhos particulares", pensando que são mais inteligentes e podem comprá-los com as oferendas que colocam em certos lugares sem se preocuparem com mais nada. Em casos assim eles podem transformar-se em obsessores difíceis de serem afastados.
Que fique bem claro que os Elementais são amplamente utilizados em trabalhos de magia tanto positiva quanto negativamente por entidades astrais. Quando uma entidade pede uma oferenda para a realização deste ou daquele trabalho, pode estar certo de que a menos que ela seja um "quiumba", um espírito elementar em evolução, estará solicitando a mesma para que possa atrair e comandar certos elementais que têm ação direta sobre o tipo de trabalho a ser executado. Que fique bem claro que Entidade espiritual que já passou por um processo evolutivo não precisa comer nem beber, muito menos de sangue de animais sacrificados, já os Elementais e certos Espíritos Elementares (quiumbas e certos obsessores) sim, pois pertencem a um nível astral quase que igual ao nosso e na verdade o que fazem é absorver a energia que emana desses elementos a eles oferecidos e não da matéria propriamente dita.
Simpatia do alho para ele te procurar
Quanto às oferendas utilizadas na Umbanda são oferecidas exatamente na intenção de liberarem ou como forma de canalizarem certas energias, que por sua vez serão absorvidas e usadas para a realização do trabalho proposto.

Quanto aos sacrifícios de animais, sabemos que é muito utilizado nos rituais de "troca de cabeça", como são conhecidos nos dias de hoje, esse tipo de ritual era utilizado por civilizações tão antigas que já foram até extintas; e em muitos casos até com o sacrifício de vida humana para que as "divindades", em troca, lhes proporcionassem bens nas mais variadas situações de vida. Hoje em resumo, esse ritual é utilizado para tirar de alguém certo mal, através da transferência da atuação que essa pessoa esteja sofrendo, para um animal de duas ou quatro patas que, segundo a regra, deve ser sacrificado a seguir para que sua energia vital possa ser absorvida pelos elementais ou obsessores, nesse caso verdadeiros vampiros, que atuavam no ser humano. Esse é um tipo de ritual perigosíssimo por colocar o médium e consulente em contato direto com as formas elementais do mais baixo grau.
Sabemos que essas oferendas podem ser representativas ou “votivas”2. Nós umbandistas não somos contra as oferendas, mas sim com o tipo e o excesso delas. Pois existem médiuns e assistentes dentro da Umbanda que acreditam piamente que só através de oferendas é que conseguirão os seus objetivos e fazem isto com tanto freqüência e fé que acabam “viciando” nesta prática a si mesmo e a entidade ou entidades oferendadas. Deveriam saber que com uma simples oração, conseguiriam seu intento, mas não o consegue por não estar habituado a fazer as coisas de maneira simples e espiritualizada, ou seja, precisa da matéria, de uma muleta psíquica para canalizar sua fé.

É claro que em determinados momentos elas são necessárias, mas não devem fazer parte do dia-a-dia do médium ou do consulente. Devem ser orientadas, explicadas e justificadas. Antes de mais nada, um verdadeiro umbandista deve sempre se preocupar em não poluir os reinos da natureza, considerar sempre a lógica e não esquecer de que a Umbanda considera a natureza como manifestação de Deus na terra, por tanto tem o dever preservá-la.
Um grande Caboclo dirigente de um terreiro de Umbanda ao sempre se deparar com médiuns e assistência lhe perguntando sobre qual oferenda se deveria entregar no dia de determinado Orixá, resolveu então passar uma receita básica que pode ser utilizada para qualquer Orixá ou Entidade.

Vamos a ela:

“Material necessário:

· 01 pacote de amor, em pó, para que qualquer brisa possa espalhar entre as pessoas que estiverem perto ou longe de você;

· 01 pedaço (bem generoso) de fé, em estado rochoso, para que ela seja inabalável;

· Algumas páginas de estudo doutrinário, para que você possa entender as intuições que recebe;

· 01 pacote de desejo de fazer caridade desinteressada, em retribuição, para não "desandar" a massa.

Modo de Preparo:

Junte tudo isto num alguidar feito com o barro da resignação e determinação e venha para o terreiro.

Coloque em frente ao Congá e reze a seguinte prece:

"Pai, recebe esta humilde oferenda dada com a totalidade da minha alma e revigora o meu físico para que eu possa ser um perfeito veículo dos teus enviados. Amém."
Pronto!
Você acabou de fazer a maior oferenda que qualquer Orixá, Guia ou Entidade pode desejar ou precisar:

Você se dispôs a ser um MÉDIUM!”
-->

IMUNIZAÇÃO ESPIRITUAL

IMUNIZAÇÃO ESPIRITUAL

Emmanuel

Raras pessoas percebem que, no mundo, existe um serviço de imunização do espírito que não deve menosprezar.

Referimo-nos ao entendimento que respeita as provas e as dificuldades alheias, procurando auxiliar aos outros, em silêncio, antes que se desmandem, através de faltas em que não precisariam comprometer a paz de consciência.

Se em derredor de ti, muitas vezes, surgem desequilíbrios e agitações, podes conservar a serenidade do campo íntimo, à feição do lago, que sendo cercado por forças antagônicas em luta, consegue manter-se em paz, refletindo as estrelas.
À frente de criaturas, vinculadas ao teu amor, sequiosas de independência, aprende a libertá-las com a força da compreensão que te felicita.

Não se apenas os corações até agora desconhecidos, com os quais te defrontas nas vias públicas ou nas áreas da atividade profissional que te pedem socorro desse jaez.

Especialmente, no círculo daqueles a que mais amas se destacam semelhantes exigências.

Imprescindível nos preparemos, tanto no Plano Espiritual quanto no Plano Físico a fim de doar a liberação a que nos reportamos.
Criaturas amadas, que apresentam o nome de filhos e filhas, nem sempre se mostram felizes ao lado de nosso amor; outras que desempenham, junto de nós, os encargos de pais ou mães talvez anseiem por experiências diferentes das nossas; irmãos e companheiros inesquecíveis, em certas ocasiões, demonstram, de modo claro, o propósito de se manterem desligados de nós, por vezes fatigados de nossa presença ou do sistema de vida a que nos impomos.

Auxiliemo-los a se livrarem de nós, sem estranheza ou ressentimento.

Já que não são crianças, credores de proteção e discernimento, confiemo-los à escola da vida, em que a Divina Providência nos internou.

E, ao liberá-los, estejamos prontos a servi-los tantas vezes quantas se fizerem necessárias.
O amor não cria problemas.
Cada qual tem o seu próprio caminho.

E Deus, que nos ama a todos, saberá prover-nos com os recursos indispensáveis à nossa própria sustentação e sobrevivência, considerando em nós as necessidades de cada um.

Médium: Francisco Cândido Xavier - Livro: “Algo Mais”
-->

SIGNIFICADO DOS SONHOS magos da luz: CARTA DE UM ESPÍRITO PARA UM VICIADO

SIGNIFICADO DOS SONHOS magos da luz: CARTA DE UM ESPÍRITO PARA UM VICIADO: envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui CARTA DE UM ESPÍRITO PARA UM VICIADO A...

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.comos relatos serão divulgado aqui

A FALANGE DAS CRIANÇAS

A FALANGE DAS CRIANÇAS

A Falange das crianças é talvez uma das mais incompreendidas da Umbanda.

Apesar de se apresentarem com roupagem fluídica de criança, trazem destes somente a pureza e alegria contagiante. Na verdade são os grandes magos do universo. foram grandes Sacerdotes quando de suas encarnações na Terra.

Como a entidade não possui um corpo astral, ela precisa forjar esse corpo para o processo de incorporação.
Assim ela busca na matéria do corpo astral o material que necessita para esse processo. realiza este intricado passo retirando do próprio médiun matéria astral, bem como vai buscar em seus corpos astrais de uma das suas ultimas encarnações o fluido de que necessita para o processo de incorporação.

Desta forma passamos a entender o porquê dessas entidades se apresentarem na forma como crianças. Escolheram essa forma por representar melhor a energia que elas manipulam, ou melhor que elas emitem. Criança significa alegria e pureza, qualidades fundamentais para quem quer que deseje galgar na alta espiritualidade. Mas, muita dessas entidades tiveram sua última encarnação interrompida ainda na fase criança (a grande maioria).

Por outro lado, no processo de incorporação, a energia desta falange, normalmente penetra em grande parte pelo chacra laríngeo, fazendo com que o médiun modifique a voz, afinando-a. Além disso, também durante o processo de incorporação, acontece um fato bastante peculiar a esta falange.

Normalmente durante a incorporação, a energia da entidade penetra ppor um dado chacra particular, resultando em um processo bem definido de incorporação. no caso da falange das crianças o processo é diferente.
A energia como vimos também penetra por um dado chacra, mas aqui ela vai sofrer um processo de espalhamento por todos os chacras do corpo, fazendo com que o médiun fique saltitando, não conseguindo parar em um ponto.

Aliando-se os dois fatos: a modificação da voz com a inquietação do médiun, temos como resultado, a manifestação de crianças na forma de como as entendemos.
E daí resulta toda a má interpretação que diversos médiuns, infelizmente dão a esta poderosíssima falange. entendem-se como criancinhas despreparads, infantis, choronas, brigonas às vezes, indolentes, simplórias em seus trabalhos e, o que é pior, comilonas e bagunceiras.

Percebemos, assim, que lhes são atribuidas todas as qualidades negativas das crianças de nosso mundo.
Mas não é nada disto que realmente ocorre.

As crianças fazem parte de uma falange, talvez a mais poderosa de todas. Não possuem aquelas qualidades negativas que lhes são atribuídas.

Nenhuma criança é comilona.
Seria impossível, do ponto de vista do processo de incorporação, um médiun comer compulsivamente como muitas vezes é visto.

Quando da incorporação principalmente das crianças ocorre um fechamento da glote, não permitino que sejam ingeridas grandes quantidades de comida e doces como muitas vezes é visto.

Somente pequenas quantidades de doces podem ser ingeridas, até porque o doce contribui para o equilibrio energético do aparelho, pois é transformado imediatamente em glicose, caindo na corrente sanguínea e mantendo desta forma a integridade do médiun.

Assim, vemos que os líquidos têm mais facilidade que os doces sólidos neste processo.
Logo, o que vemos na maioria dos templos dedicados a Umbanda, são médiuns com fome e com sede.
Mas tudo é uma questão de equilibrio e cabe ao dirigente verificar os excessos e saber diferenciar as vibrações, pois a comida e bebida fazem parte sim do trabalho dessa falange, sendo fundametal a presença destes elementos quando uma criança se manifesta, tudo depende da doutrina da casa.

Quanto ao tipo de trabalho que estas tão valorosas entidades realizam, também é bastante mal compreendido por todos. seus trabalhos são visto de maneira bastante simplória.

Como é uma falange altamente espiritualizada, certos trabalhos de limpeza não tem condições de serem por elas realizados.

Daí decorre a necessidade de sempre se precisar invocar o trabalho de uma ou outra falange para o "fechamento" dos trabalhos
A criança quando realiza o seu trabalho, no momento do passe, simplesmente retira o que pode estar atrapalhando a vida de uma pessoa, mas não conduz o que foi retirado para o devido lugar.
Retira e deixa em um canto.
Precisa, pois, de um batalhão de choque para levar o que foi retirado.

Se formos reparar nos apetrechos que se utilizam para os trabalhos, observamos objetos ritualísticos de origem druida, xamânica, egípcia e outras.

É preciso se despir de todo o preconceito, tirar as mágoas e ódios do peito para encontrar o reino dos céus.

De outra maneira, é preciso voltar a ser criança, para encontrarmos o verdadeiro caminho da espiritualidade.

"Bem-aventuradas sejam as crianças, porque é delas o Reino dos Céus"

Saravá as Crianças
As nossas crianças
Onibeijada.

na postagem do texto não foi citado a fonte

PRECE A OXÓSSI

PRECE A OXÓSSI

Oh, caçador!
Guerreiro de uma única flecha.
Rei das Matas, Rei da Umbanda.
Pai da Inspiração e da Esperança, daí-me as bênçãos da prosperidade e inspira-me os pensamentos do bem.
Ajuda-me no sustento da minha fé; a fim que possa cumprir com minhas obrigações e meus deveres neste mundo.
Indica-me com sua flecha sagrada os verdadeiros caminhos da prosperidade.
Axé

DO QUE SE ALIMENTA UM OBSESSOR

NÃO FACILITE O TRABALHO DOS OBSESSORES

CONCEPÇÕES BÁSICAS:

OBSESSOR
Aquele que exerce influência negativa sobre uma ou mais pessoas ou entidades, alternando, diminuindo ou desorganizando sua energia ou vibração. Os obsessores podem ser encarnados ou desencarnados.

OBSESSÃO
Processo pelo qual um obsessor exerce sua ação obsessiva sobre uma ou mais pessoas ou entidades, alternando, diminuindo ou desorganizando sua energia ou vibração.
DO QUE SE ALIMENTA UM OBSESSOR?

Alimentam-se basicamente de energias produzidas por sensações, ou mais especificamente, emoções. São emoções viciantes, ou seja, produzem dependência, necessidade, vontade que querer mais, cada vez mais.

COMO NASCE UM OBSESSOR?

De carências, ilusões, medos, fascínios e vaidades. São originados pela ignorância e pelo ego negativo. No momento em que alguém considerar que para ser feliz, para sentir-se bem, para conquistar paz e saciedade, precisa buscar no outro, ou em meios externos esta sensação, então, os processos obsessivos surgiram.
Esses ocorrentes erros humanos dão origem a comportamentos viciados, os quais necessitam se autoalimentar, para que continuem a produzir as sensações desejadas, porque emoções viciam!

A emoção e uma forma de energia produzida pelo ego, portanto precisa ser dominada pelo Eu superior, caso contrário, ela domina o seu criador.

A consequência deste processo é que:
- Quando um vício emocional surge, as obsessões começam.
- Quando os medos surgem, as obsessões começam.
- Quando o desejo de controlar o outro surge, as obsessões começam.
POR QUE ALIMENTAMOS AS OBSESSÕES?

- Porque não combatemos os nossos hábitos nocivos.
- Porque somos manipulados por nossas emoções.
- Porque não lutamos para controlá-las e desistimos fácil, então nos entregamos a para senti-las profundamente, nas situações mais simples da vida.
- Porque duvidamos da nossa força e do nosso Eu superior.
- Porque nos consideramos mais ou menos do que os outros, e esquecemos que somos todos filhos do mesmo Pai, portanto irmãos em essência.
- Porque nos separamos da Fonte Maior, nos consideramos separados do Todo e assim nos iludimos criando o egoísmo.
Tudo, efetivamente tudo na vida cotidiana na Terra é uma constante batalha por energia. Como não aprendemos a conquistar essa energia por meio da conexão com Deus, então acabamos buscando esse suprimento de forma equivocada, mergulhando nas emoções.

E assim nos tornamos apegados e dependentes!

Dependentes de precisarmos sentir a sensação de sermos: mais belos, mais poderosos, mais ricos, mais magros, mais fortes, mais importantes, mais encantadores. Ou os possuidores dos melhores carros, das melhores roupas, melhores aparelhos eletrônicos, para que assim possamos nos sentir amados e com isso nos aceitar mais.

Dependemos de um estilo de vida estruturado de acordo com os padrões aprovados pela sociedade. Dependemos do emprego de "sucesso", sem refletirmos o que é verdadeiramente sucesso.
- Somos dependentes! Não somos livres!
- Somos apegados! Não estamos no caminho mais fácil!
- Somos obsediados! Alimentamos a obsessão com nossos equívocos!
-Não aprendemos a dominar as emoções viscerais... Somos obsediados!
Não domamos as emoções densas... Ficamos doentes!
Ficamos sem fome... Comemos demais...
Ficamos apáticos... Ficamos hiperativos... Dormimos demais... Temos insônia... Trabalhamos demais... Ficamos intolerantes, irritados... Tornamos-nos negligentes e impotentes para mudar o mundo...
E assim, criamos mais:
- Ansiedade.
- Angústia.
- Orgulho

O orgulho faz o umbral crescer! No físico e no extrafísico.
Os nossos erros alimentam o umbral... O nosso orgulho piora o mundo..

QUAL EMOÇÃO LHE DOMINA?

Descubra já! Equilibre-se e cure-se!
Desta forma você encontrará a verdadeira felicidade e liberdade. Sentimentos da alma, construídos de dentro para fora.

por Bruno J. Gimenes
-->

terça-feira

TRABALHOS PARA POMBA GIRA PARA PEGAR HOMENS


Para que este trabalho funcione e a PombaGira das Almas seja agradada e use sua força para obrigar o homem a voltar, você deve fazê-lo exatamente do modo como está indicado aqui.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Um objeto qualquer ou uma peça de roupa (lenço, meia, cueca etc.) que o homem te¬nha usado antes de ir embora.
Sete velas vermelhas.
Um incensório.
Defumador com o aroma de sua preferên¬cia.
Sete rosas vermelhas.
Uma toalha vermelha.
Uma folha de papel sem pauta, vermelho.
Lápis ou caneta.
Fósforos.

CUIDADOS INICIAIS:
Caso haja outras pessoas morando na mesma casa, avise-as que, no dia em que for realizar o traba¬lho, elas devem retornar no máximo até meia-noite,
pois nessa hora a porta principal da casa será fechada e não se abrirá para ninguém em hipótese alguma.
COMO FAZER O DESPACHO:
A meia-noite, feche a porta principal da casa e retire a chave. Coloque todo o material descrito na lis¬ta junto à porta.
Escreva na folha de papel a seguinte frase: "Fu¬lano (o nome do homem), antes que o dia amanheça, tu sentirás vontade de voltar por esta porta, pelos poderes da Pomba-Gira das Almas, dona deste trabalho."
Peça licença ao dono do lugar. Abra no chão a toalha, junto à porta, e coloque sobre ela o objeto pertencente ao homem, por cima do papel escrito. Espalhe as rosas em volta do objeto, também em cima da toalha, e acenda as velas, fora da toalha. Por fim, acenda o defumador, colocando-o em cima da toalha.Quando tudo estiver pronto, as velas e o defumador acesos, cante um ponto para a Pomba-Gira das Almas e afaste-se do trabalho sem dar-lhe as costas, dando três passos para trás. Depois disso, vá cuidar das suas ati-vidades normais.
Retire o trabalho somente às seis horas da manhã do dia seguinte. É importante que a porta não seja aberta para ninguém e que você, a pessoa que fez o despacho, seja a primeira a sair por ela. Se outra pessoa abrir a porta ou sair por cima do despacho, irá desagradar Pomba-Gira das Almas e ela não ajudará na demanda solicitada.

Recolha todo o material. A toalha e o defumador devem ser guardados para outros trabalhos; o resto das velas e do incenso, o objeto pessoal, as rosas e o papel com a frase escrita devem ser enterrados juntos em um lugar seguro. Não jogue nada no lixo nem no mar, pois isso quebrará a força do despacho.
PONTOS CANTADOS:
Tala, talaia de Pomba-Gira
Pomba-Gira das Almas que eu não caia
Tala, talaia de Pomba-Gira
Pomba-Gira das Almas para que eu não caia.
Pomba-Gira das Almas para que eu não caia.
Pomba-Gira das Almas, vem tomar chô, chô. Pomba-Gira das Almas, vem tomar chô, chô. Vencedora de demandas, vem tomar chô, chô. Vencedora de demandas, vem tomar chô, chô.
Minha Senhora das Almas,
Atira e não erra a mira,
Atira e não erra a mira,
Ela é minha protetora
Saravá Sá Pomba-Gira das Almas.
Saravá Sá Pomba-Gira das Almas.
Trabalho com Pomba-Gira de Angola para Fazer um Homem Ir Embora de Casa
Nem sempre a companhia de um homem é desejada. Este trabalho tem a finalidade de expulsar um homem da vida de uma mulher que não suporta mais conviver com ele. A Pomba-Gira de Angola, sen¬do agradada, vai levar o homem para outro lugar, por vezes até mesmo para um país distante, não deixando que ele volte nunca mais.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Três velas pretas.
Três fitas vermelhas.
Um pacote de defumador.
Um incensório.
Sete moelas de galinha.
Óleo de rícino.
Uma folha de papel vermelho.
Lápis ou caneta.
Uma foto de corpo inteiro do homem.
Uma toalha preta.
Um prato de barro virgem.
Fósforos.
CUIDADOS INICIAIS
Este trabalho é feito às doze horas, junto à porta dos fundos da casa. Devem ser tomadas em relação a ele as mesmas precauções que foram tomadas no tra¬balho anterior quanto à abertura da porta; ninguém deve sair ou entrar por ela enquanto lá estiver o des¬pacho. Se isso acontecer, o efeito será anulado.
COMO FAZER O DESPACHO
Às doze horas, tranque a porta dos fundos de casa e retire a chave. Coloque todo o material junto da porta. Estenda a toalha diante da porta. Acenda as velas e queime o defumador.
Coloque o prato sobre a toalha. Escreva o seu próprio nome e o nome do homem na folha de papel. Coloque a folha dentro do prato; por cima dela, ponha as moelas; regue tudo com o óleo de rícino.
Depois disso, encoste a foto do homem no pra¬to. Coloque as fitas, em forma de cruz, sobre as moelas e cante ou recite um ponto de Pomba-Gira de Angola Por fim, olhe para a foto do homem e diga sete vezes a seguinte frase: "Que Pomba-Gira te leve para Angola.
PONTOS CANTADOS
Bateu meia-noite na capela
O galo cantou na encruzilhada, (bis)
Arruma tua capa e teu garfo, meu Exu,
O meu pai Ogum te chamou de madrugada.
Encruza 'tá te chamando Pomba-Gira de Angola.
Firma a gira deste jacutá Sua banda é muito longe, Firma a gira deste jacutá Ela vai deixar o endá, Firma a gira deste jacutá.
Candongueiro quando chama É sinal que está na hora Candongueiro quando chama É que Exu já vai embora. Pomba-Gira de Angola Amarra a saia que Exu vai embora. Pomba-Gira de Angola Amarra a saia que Exu 'tá na hora.
Exu já curimbou, Exu já curiou
Exu vai embora que Ogum mandou
Vai com Pomba-Gira de Angola
Vai para longe, vai para Angola
Vai, Pomba-Gira, que a encruza já chamou
Exu já curiou, Exu já curimbou.
Trabalho com Pomba-Cira Cigana para Prender um Homem, para Sempre, ao seu Lado
Se você deseja prender um homem ao seu lado, para sempre, então faça o trabalho apresentado a se¬guir. Quando for adquirir o material da lista, lembre-se de que a Pomba-Gira Cigana éa mais vaidosa de todas; por esta razão, as oferendas devem ser de boa qualida¬de, de acordo com suas posses. Não tenha pena de in-vestir naquilo que vai beneficiá-la para o resto da vida.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Um batom.
Um par de tamancos.
Um par de brincos.
Sete velas vermelhas.
Uma garrafa de cachaça, champanhe ou vinho.
Sete fitas vermelhas.
Sete rosas vermelhas.
Um prato de barro.
Fósforos.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser feito em uma sexta-fei-ra, à meia-noite, em uma encruzilhada em forma de T. Nem todas as mulheres podem sair de casa sexta-fei-ra, à meia-noite, para arriar um despacho em uma en¬cruzilhada; mas não há outra forma de conseguir a aju¬da de Pomba-Gira Cigana, que sai de sua morada para receber as oferendas exatamente nessa hora e nesse dia. A mulher, quando quer fazer alguma coisa, sempre con¬segue encontrar um modo inteligente de realizá-la.
Tenha fé, bastante fé, e verá que o seu pedido será plenamente atendido pela Pomba-Gira Cigana. Mas, antes de fazer a sua oferenda e o seu pedido, te¬nha certeza de que esse é realmente o homem que você deseja para sempre ao seu lado; se não tiver esta certe¬za, de nada adiantará o trabalho feito, pois a Pomba-Gira Cigana só vai agir segundo o seu desejo e a sua vontade.
COMO FAZER O DESPACHO:
No dia e na hora certa, vá para a encruzilhada em forma de T, levando todo o material, e peça licença ao dono da encruzilhada para arriar a sua oferenda Depois de fazer isso, arrume os enfeites, a bebida, as fitas e as rosas dentro do prato; coloque-o no chão e acenda as velas em volta. Recite ou cante um ou dois pontos de Pomba-Gira Cigana. A seguir, bata com o pé direito no chão, enquanto chama: Vem, Pomba-Gira, vem, Pomba-Gira Cigana, tua oferenda levar,
para meu homem [Fulano (dizer o nome da pessoa)] nunca mais me deixar." Repita isso sete vezes e em seguida afaste-se, dando sete passos para trás, sem dar as costas para o trabalho. Somente depois disso é que você deve ir para casa.
Não tenha relações sexuais com o seu homem por três dias. Invente qualquer desculpa, mas não dei¬xe de lhe dar carinho, bastante carinho. Faça com que ele se sinta amado e desejado. Mas não deixe que ele toque em seus órgãos sexuais. Alegue alguma dor e diga que, quando ficar boa, dará tudo que ele pedir. Só na segunda-feira, depois da meia-noite, você pode ter relações com ele. Caso ele não esteja com vontade, espere então o momento em que deseje; não force nada. O importante é deixar as coisas acontecerem natural¬mente. Não esqueça, entretanto, que, depois dos três dias, é você quem deve tomar a iniciativa, pois era você quem o estava evitando por estar "doente".
Se desejar reforçar o trabalho, repita tudo a cada sete meses, marcando as datas em um calendá¬rio. Lembre-se de que nenhuma pessoa deve ficar sa¬bendo do seu trabalho, principalmente outra mulher.
PONTOS CANTADOS:
Dona Pomba-Gira Cigana Leva o que tem p'ra levar. Leva o que tem p'ra levar. Leva a minha quizila Leva bem para o fundo do mar. Leva bem para o fundo do mar.
Vinha caminhando a pe Para ver se encontrava Pomba-Gira Cigana de fé. Para ver se encontrava Pomba-Gira Cigana de fé. Ela parou e leu minha mão, E me disse toda a verdade Eu só queria saber onde mora Pomba-Gira Cigana de fé.
Ela é Pomba-Gira Cigana Ela é Pomba-Gira Cigana De tamanquinho de pau Ela trabalha p'ro bem Mas também trabalha pro mal. Mas também trabalha pro mal.
Trabalho com Pomba-Gira da Calunga,
para o Homem só Conseguir Ereção
com uma Única Mulher
Certos homens não aprendem que a fidelidade é algo bom para eles e para suas esposas ou
companheiras. Vivem em busca de outras mulheres, tentando provar a masculinidade por
meio do sexo. Quando a mulher está certa de que o seu marido tem uma ou várias amantes,
nada mais justo que lhe dar uma grande lição, pedindo ajuda a Pomba-Gira da Calunga,
para fazer com que ele perca a ereção todas as vezes em que for manter relações sexuais
com outras mulheres, somente o conseguindo, é claro, com aquela que fez o trabalho.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Uma toalha vermelha.
Sete velas vermelhas.
Sete fitas pretas.
200 g de milho de pipoca.
Um prato de barro.
300 g de farinha de milho.
Um vidro de azeite-de-dendê.
Uma peça de roupa íntima do homem, usada (só serve sunga ou cueca).
Uma panela com tampa.
CUIDADOS INICIAIS:
Antes de fazer o trabalho, procure descobrir onde mora a amante do seu marido ou o
endereço de um bordel que ele frequente. Se não conseguir descobrir isso, escolha uma
casa de prostituição qualquer, em qualquer parte da cidade, como o lugar para arriar o
despacho; mesmo que não seja o mesmo lugar que ele frequenta, o efeito do trabalho será
idêntico.
COMO FAZER O DESPACHO:
O trabalho deve ser feito em uma sexta-feira, por volta da meia-noite. Comece estourando
a pipoca e misturando-a com a farinha de milho e com o azeite-de-dendê, para fazer uma
farofa; arrume tudo no prato. Em seguida, leve todo o material para a frente do local
escolhido (a casa da amante do seu marido ou o bordel). Depois de pedir licença ao dono
do lugar, es¬tenda a toalha no chão. Coloque no centro a peça de roupa, com o prato de
farofa e pipoca por cima; arru¬me as fitas sobre o prato. Acenda as velas e cante um
ponto de Pomba-Gira da Calunga, chamando-a para vir receber a oferenda.
Para reforçar ainda mais o feitiço realizado, use por três dias uma peça de roupa íntima
de seu marido, de preferência uma cueca. Lave-a no primeiro e no segundo dias; no
terceiro, deixe a roupa para ele usar, sem lavá-la. Preste atenção para saber quando ele
a colocará: no dia em que ele estiver usando essa roupa, você não deve ter relações
sexuais com ele;
somente poderá ser feito no dia seguinte, ou quan-ao ele tomar a iniciativa.
Mantenha total segredo sobre as coisas que fi¬zer, não revelando nada a ninguém a
respeito do des¬pacho. Também evite falar sobre outras mulheres, den¬tro de casa. Procure
esquecer que o seu homem tem uma amante; o seu esquecimento fará o despacho agir com
maior rapidez e eficácia.
PONTOS CANTADOS:
Pomba-Gira da Calunga Não é mulher de ninguém. Não é mulher de ninguém. Quando entra na
demanda Só sai por sete vinténs. Só sai por sete vinténs.
Dentro da calunga eu vi Uma linda mulher gargalhar. Uma linda mulher gargalhar. Era
Pomba-Gira da Calunga Que começava a trabalhar. Que começava a trabalhar.
Eu sou Pomba-Gira da Calunga
E vim para trabalhar
Sou mulher de Exu Veludo
E todo o mal vou levar
Eu tenho uma rainha
Eu tenho também um rei Obedeço a Exu Veludo Pois é ordem de meu rei.
Trabalho com Pomba-Gira Sete Saias, para Fazer de uma Inimiga uma Grande Amiga
Às vezes conhecemos uma mulher que insiste em ser nossa inimiga. Por mais que se faça,
ela conti¬nua querendo nosso mal; e, na maioria das vezes, sua amizade é interessante e
pode gerar muita coisa boa. É necessário, então, que façamos um trabalho para a Pomba-
Gira Sete Saias, serva de Oxum, para que a ini¬mizade se transforme em uma grande
amizade.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Um prato de barro.
Sete velas brancas.
Sete fitas de 70 cm, uma de cada cor.
Sete rosas vermelhas.
Farinha de mesa, crua.
Uma garrafa de champanhe.
Uma cigarrilha.
Mel.
Fósforos.
CUIDADOS INICIAIS:
trabalho deve ser feito em uma noite de
Sa ado 0U de segunda-feira. No dia escolhido, ainda
casa, misture o mel com a farinha, fazendo uma
farofa doce. Coloque-a dentro do prato e enfeite com as rosas.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve o prato já preparado e o resto do materi¬al para uma encruzilhada em T. Ao chegar
lá, faça uma saudação ao povo da rua, dizendo: "Laroiê, Exu, sua licença!" Coloque o
prato no chão. Em seguida, amar¬re todas as fitas no gargalo da garrafa; somente depois
retire sua tampa. Jogue um pouco do champanhe no chão, pedindo à Pomba-Gira Sete Saias
que "Fulana" deixe de ser sua inimiga para tornar-se sua melhor amiga. Acenda as velas,
arrumando-as em volta do prato; acenda em seguida a cigarrilha. Dê sete bafora¬das em
cima do trabalho, dizendo: "[Fulana (dizer o nome da pessoa)], teu coração se abrirá e
serás minha melhor amiga, na fé das Sete Saias." Repita isso sete vezes (uma a cada
baforada) e coloque a cigarrilha ao lado do despacho. Levante-se e dê sete passos para
trás, sempre de frente para o despacho. Somente depois dis¬so, volte-se e vá para casa.
Sempre que se encontrar com a mulher cuja
amizade deseja conquistar, cumprimente-a com um
sorriso, lembrando do trabalho feito na encruza. Mais
cedo do que imagina, você terá uma nova e grande
amiga.
Arreda, homem, que aí vem mulher. Arreda, homem, que aí vem mulher.
Ela é a Sete Saias, rainha do candomblé. Tirirí que vem na frente, P'ra mostrar quem ela é!
Mulher tão bonita, Mulher tão formosa, É a rainha Sete Saias Pomba-Gira poderosa!
Sala, sala é de Pomba-Gira, Olha Pomba-Girê para que não caia. Sala, sala é de Pomba-
Gira, Olha Sete Saias para que não caia.
Deu meia-noite, Exu vai trabalhar. Deu meia-noite, Exu vai trabalhar. Arreda minha gente,
Sete Saias vai chegar. Arreda minha gente, Sete Saias vai chegar.

Trabalho com Pomba-Cira do Cruzeiro, para Atrair um Homem Desejado
Este trabalho só deve ser feito por mulheres que ainda não tenham marido ou namorado,
pois todo o encanto será anulado, caso a mulher que faça o des¬pacho seja comprometida.
MATERIAL NECESSÁRIO:
200 g de milho de pipoca.
300 g de farinha de milho.
Um vidro de azeite-de-dendê.
Um prato de barro.
Sete velas vermelhas,
Sete rosas vermelhas.
Sete fitas vermelhas.
Uma folha de papel branco.
Lápis ou caneta.
Fósforos.
Um véu ou lenço grande, suficiente para co¬brir sua cabeça e seu rosto.
COADOS INICIAIS:
jado necessári° saber onde mora o homem dese-s parte do despacho será arriada no
caminho
onde ele passa ao sair de casa. É necessário que ele pelo menos veja o trabalho.
COMO FAZER O DESPACHO:
Este trabalho deve ser feito na última sexta-feira de um mês qualquer, entre onze e meia
e meia-noite. Parte dele será arriada junto ao cruzeiro de um cemitério e a outra parte,
junto da residência do ho¬mem. Se o cemitério estiver fechado, arrie o despacho do lado
de fora, junto ao portão ou ao muro, em um lugar discreto.
Antes de sair de casa, faça uma farofa, mistu¬rando a farinha de milho com o azeite-de-
dendê, e es¬toure a pipoca. Misture e arrume dentro do prato de barro. Escreva na folha
de papel a seguinte frase: "Fu¬lano, a partir desta data não conseguirás dormir nem
comer, nem viver sem pensares em mim." Em segui¬da, vá para o cemitério, levando todo o
material consi¬go. Chegando junto ao cruzeiro, peça licença aos do¬nos do lugar (os
Pretos Velhos), batendo com a mão no chão três vezes.
Coloque o prato no chão, com o papel por bai¬xo; enfeite com as fitas. Espalhe as rosas
em volta e acenda seis velas. Aguarde no local durante cerca de meia hora; então, recolha
as rosas e afaste-se, dando sete passos para trás, sempre de frente para o despacho. A
seguir, dirijase para o local onde mora o homem que você deseja atrair, tendo o cuidado
de cobrir a cabeça com o véu ou o lenço, para que ninguém a
reconheça; se alguém a vir e reconhecer fazendo o des¬pacho, o efeito não será o mesmo.
Ao chegar, escolha um lugar junto à entrada da residência dele ou no caminho por onde ele
passa dia-riamente. Arrume as rosas em círculo no chão e, no cen¬tro, acenda a vela que
não foi acesa no cemitério. Cante um ponto da Pomba-Gira do Cruzeiro e vá para casa.
Durante os sete dias seguintes, não fale em hi¬pótese alguma com o homem que deseja
atrair. Se isso for absolutamente impossível, por se tratar de um co¬lega de trabalho ou
de uma pessoa que lhe falará com toda certeza, indique por gestos que está com proble¬mas
de garganta, impossibilitada de falar, e use papel e caneta para escrever o que precisar
responder. Evite também falar com outras pessoas na frente dele, pois isso poderá
provocar ressentimento ou desconfiança da parte do homem que você deseja atrair.
PONTOS CANTADOS:
Lá no cruzeiro da calunga Eu vi uma farofa amarela Eu vi uma farofa amarela Quem não
acredita em Pomba-Gira do Cru¬zeiro É muito bom não mexer com ela. É muito bom não mexer
com ela.
O seu manto é de veludo Bordado todo em ouro O seu garfo é de prata
Muito grande e seu tesouro Ela é Pomba-Gira do Cruzeiro Que chegou pra trabalhar.
Auê, Pomba-Gira do Cruzeiro Quando chega a madrugada Quando chega a madrugada Ela comanda
o cruzeiro Dando suas gargalhadas. Dando suas gargalhadas.

Trabalho com Pomba-Gira da Encruzilhada,
para Desfazer Trabalho Feito para
Separar a Mulher de seu Amado
Do mesmo modo como você pode fazer um trabalho para afastar um homem de determinada
mu¬lher, alguém também pode fazer algo semelhante para você. Caso smta, de uma hora para
outra, que seu ho¬mem está se afastando de você, sem uma razão que o justifique, esteja
certa de que a causa pode ser algum trabalho feito com a intenção de afastá-lo de sua
con¬vivência. A Pomba-Gira da Encruzilhada domina este tipo de trabalho e é capaz de
desfazer qualquer feitiço feito contra você.
Este trabalho pode ser repetido uma vez por mês, durante sete meses, para que a Pomba-
Gira tra¬balhe continuamente para desfazer o feitiço que fize¬ram contra seu homem.
Lembre-se de que certas pes¬soas não perdem tempo e estão reforçando constante¬mente seus
pedidos às entidades a serviço do lado ne¬gativo e prejudicial da vida.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• Sete charutos.
• Sete velas pretas.
• Sete fitas vermelhas.
• Sete moelas de galinha.
• Um prato de barro.
• Uma garrafa de cachaça.
• 250 g de milho de pipoca.
• Uma toalha vermelha.
• Fósforos.
• Abridor de garrafas.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser feito em uma sexta-fei-ra, perto da Hora Grande (meia-noite), em
uma en¬cruzilhada. Esta não pode ser em forma de X (inclina¬da) ou em T; o trabalho exige
uma legítima encruzi¬lhada em cruz, com os braços em ângulo reto, do con¬trário a Pomba-
Gira não virá buscar sua oferenda e o trabalho não surtirá efeito. Por isso, escolha
cuidado¬samente, com antecedência, o local onde irá arriar o despacho.
Antes de sair de casa, estoure a pipoca e colo-que-a no prato. Arrume por cima as moelas.
COMO FAZRK O DESPACHO:
Leve todo o material para o local escolhido. Ao chegar, peça licença aos donos da
encruzilhada (Ogum e Exu); a seguir, coloque o prato no chão, so¬bre a toalha, arrumando
as fitas por cima e a cachaça e os charutos ao lado.
Repita sete vezes as seguintes palavras: "Vem/ Pomba-Gira da Encruzilhada, vem desmanchar to
trabalho que existir, vem meu homem libertar." Em seguida, bata palmas e acenda as velas.
Afaste-se, dan¬do sete passos para trás, sempre de frente para o des¬pacho; depois, vá
embora para casa.
Durante os sete dias que se seguirem ao traba¬lho deixado na encruzilhada, não faça
nenhum outro tipo de despacho, nem faça coisa alguma que possa prejudicar ninguém. Evite
dizer coisas ofensivas às outras pessoas e peça sempre, ao seu santo-de-cabeça, proteção
e luz.
PONTOS CANTADOS:
Pomba-Gira, ô Pomba-Gira De onde tu vens? Pomba-Gira, ô Pomba-Gira De onde tu vens? Eu
venho lá da encruza Eu sou mulher de Lúcifer. Eu venho lá da encruza Eu sou mulher de
Lúcifer.
Eu me chamo Pomba-Gira,
Da encruzilhada eu sou.
E na minha encruzilhada
Onde eu tenho minha morada.
E sei trabalhar
Quebro qualquer demanda se precisar.
Quebro qualquer demanda se precisar.
Na encruza eu vou chegar
Com meu tridente vou esperar
Ao inimigo vou demandar
Arrastando-o pelas ruas
Deixando-o estraçalhar.
Eu me chamo Pomba-Gira da Encruza
Na Umbanda vou trabalhar.
E todo trabalho vou desmanchar.
E todo trabalho vou desmanchar.
Trabalho com Pomba-Gira Maria Molambo, para Separar o Homem de sua Amante
Para você conseguir separar seu homem de uma amante, basta realizar este despacho para
Pom¬ba-Gira Maria Molambo; o resultado é infalível.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Uma toalha vermelha.
Sete cigarrilhas
Sete rosas vermelhas.
Uma garrafa de cachaça.
Sete velas pretas.
Três velas brancas.
250 g de milho de pipoca.
300 g de farinha de milho.
Uma garrafa de azeite-de-dendê.
Um prato de barro.
Fósforos.
Abridor de garrafa.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser arriado em um vaza-°Uro de lixo ou próximo a um latão de lixo
público
(desde que tenha bastante detritos), à meia-noite; por isso, escolha com antecedência o
lugar adequado. Pom¬ba-Gira Maria Molambo tem predileção por lixo; por¬tanto, somente
realize este trabalho em local realmen¬te sujo.
Ninguém deve ficar sabendo que você está fa-zendo o trabalho; nem mesmo as pessoas mais
íntimas. Se, por acaso, precisar levar um acompanhante até o local, deixe-o bem longe do
ponto do despacho. Neste caso, o acompanhante não deve ser uma mulher; um homem é melhor,
para dar reforço e vibração sobre o trabalho a ser feito. Um filho, um amigo de confiança
ou um irmão é o ideal.
Antes de sair de casa, estoure a pipoca e mis-ture-a com a farofa feita com a farinha de
milho e o azeite-de-dendê. Ponha dentro do prato de barro.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material para o lugar escolhido. Depois de pedir licença ao dono do lugar,
abra a toa¬lha bem junto do monturo de lixo. Coloque o prato por cima e arrume as
cigarrilhas e as rosas em volta. Acenda as velas e cante um ponto de Pomba-Gira Maria
Molambo. Abra a garrafa e despeje a cachaça sobre o despacho, tomando cuidado para que
não caia sobre as rosas.
A seguir, tome um gole da cachaça e cuspa-o para o lado. Repita sete vezes a seguinte
frase: "Vem, Maria Molambo, vem receber teus presentes e separar
Fulano (diga o nome do homem) de Fulana (diga, se souber, o nome da amante dele; se não
souber, diga apenas 'da maldita amante')."
Afaste-se, dando sete passos para trás, sempre de frente para o despacho. Depois disso,
retorne para casa e retome suas atividades rotineiras; Pomba-Gira se encarregará de
resolver seu problema.
 PONTOS CANTADOS:
Mas que caminho tão escuro Que vai passando aquela moça. Que vai passando aquela moça.
Com seus farrapos de chita Estalando osso por osso. Estalando osso por osso.
Olha, minha gente,
Ela é farrapo só.
Ela é farrapo só.
E Pomba-Gira Maria Molambo
É de coro, có, có.
É de coro, có, có.
Maria Molambo traz Linda saia com sete guizos. Linda saia com sete guizos. Quando roda
nos terreiros Trabalhando nas demandas Mostra que tem muito juízo.
Trabalho com Pomba-Gira Menina para Atrair Rapaz Solteiro e Jovem
Algumas mulheres não têm a sorte de encon¬trar homens solteiros. Quando algum homem se
apro¬xima delas, elas logo descobrem que eleja é compro¬metido ou, quando não o é, é de
idade a vançada.
O uso de trabalhos feitos para Pomba-Gira Menina está diretamente ligado às forças
atrativas da juventude, da beleza e do encantamento. Executando a oferenda conforme o
recomendado, Pomba-Gira Menina atrairá não apenas um, mas sim vários homens solteiros e
jovens, para que a pretendente escolha à vontade.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• Uma caixa de bombons (se forem compra¬dos a granel, devem ser, no mínimo, 17).
• Sete rosas vermelhas.
• 250 g de milho de pipoca.
• Um batom.
• Uni pente.
• Um par de brincos.
• Um espelho pequeno.
• Uma toalha vermelha.
• Sete velas brancas.
• Sete fitas vermelhas.
• Unia folha de papel branco.
• Erva-doce.
• Três xícaras de água (ou mais).
• Mel.
• Panelas.
• Fósforo.
• Uma garrafa térmica grande.
• Um copo incolor, virgem.
• Uma tac,a incolor, virgem.
• Lápis ou caneta.
• Um prato de barro.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser feito em um parque in¬fantil, à meia-noite; escolha o local com
antecedência. No dia escolhido, antes de sair de casa, prepare um chá com a erva-doce e a
água; adoce a seu gosto e guar¬de na garrafa térmica, para que não esfrie. A seguir,
estoure as pipocas e coloque-as no prato de barro.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material para o parque escolhido de modo a estar lá à meia-noite. Ao chegar,
peça licen ça ao dono do lugar, batendo três vezes com a mão nc» chão. Abra a toalha no
chão e arrume os presentes em cima: os bombons dentro do prato e os adereços em volta.
Desenhe no papel três pontos riscados da Ponv ba-C.ira Menina e cante um ponto para ela
se alegrar.
Acenda as velas de duas em duas, colocando-as na ca¬beceira do trabalho, onde estão os
obietos da oferenda.
Coloque um pouco do chá no copo e tome dois goles. Depois do primeiro, repita a seguinte
frase: "Te saúdo, Pomba-Gira Menina, vem receber teus presen¬tes." Depois do segundo
gole, repita esta frase: "Man¬da um rapaz bonito e jovem para me amar e eu sem¬pre vou te
recompensar."
Depois de beber os dois goles do chá, despeje o resto do copo fora. Em seguida, ponha um
pouco de chá na taça e ofereça á Pomba-Gira Menina, deixando-a junto aos presentes. Feito
isso, afaste-se do despacho, dando sete passos para trás, sempre de frente para a
oferenda; depois volte para casa.
Quando aparecer o primeiro rapaz jovem e solteiro em sua vida, vá logo agradecer á
Pomba-Gira Menina, fazendo outra oferenda semelhante, para mostrar sua gratidão e
reforçar seu pedido. Se quiser amarrar esse homem, faça um trabalho para a Pomba-Gira
Cigana.
PONTOS CANTADOS:
Meu sinhô, meu sinhozinho Gargalharam na encruzilhada Gargalharam na encruzilhada Era
Pomba-Gira Menina, sinhô Que reinava na madrugada. Que reinava na madrugada.
Olha que menina linda Olha que menina bela. É Pomba-Gira Menina Me chamando da sua
janela. Me chamando da sua janela.
Ela é uma beleza É Pomba-Gira Menina É Pomba-Gira Menina Na demanda não bambeia. Sua
morada é na esquina. Sua morada é na esquina.

Trabalho com Pomba-Gira Maria Molambo, para Separar o Homem de sua Amante
Para você conseguir separar seu homem de uma amante, basta realizar este despacho para
Pomba-Gira Maria Molambo; o resultado é infalível.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Uma toalha vermelha.
Sete cigarrilhas
Sete rosas vermelhas.
Uma garrafa de cachaça.
Sete velas pretas.
Três velas brancas.
250 g de milho de pipoca.
300 g de farinha de milho.
Uma garrafa de azeite-de-dendê.
Um prato de barro.
Fósforos.
Abridor de garrafa.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser arriado em um vaza-°Uro de lixo ou próximo a um latão de lixo
público
(desde que tenha bastante detritos), à meia-noite; por isso, escolha com antecedência o
lugar adequado. Pom¬ba-Gira Maria Molambo tem predileção por lixo; por¬tanto, somente
realize este trabalho em local realmen¬te sujo.
Ninguém deve ficar sabendo que você está fa-zendo o trabalho; nem mesmo as pessoas mais
íntimas. Se, por acaso, precisar levar um acompanhante até o local, deixe-o bem longe do
ponto do despacho. Neste caso, o acompanhante não deve ser uma mulher; um homem é melhor,
para dar reforço e vibração sobre o trabalho a ser feito. Um filho, um amigo de confiança
ou um irmão é o ideal.
Antes de sair de casa, estoure a pipoca e mis-ture-a com a farofa feita com a farinha de
milho e o azeite-de-dendê. Ponha dentro do prato de barro.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material para o lugar escolhido. Depois de pedir licença ao dono do lugar,
abra a toa¬lha bem junto do monturo de lixo. Coloque o prato por cima e arrume as
cigarrilhas e as rosas em volta. Acenda as velas e cante um ponto de Pomba-Gira Maria
Molambo. Abra a garrafa e despeje a cachaça sobre o despacho, tomando cuidado para que
não caia sobre as rosas.
A seguir, tome um gole da cachaça e cuspa-o para o lado. Repita sete vezes a seguinte
frase: "Vem, Maria Molambo, vem receber teus presentes e separar
Fulano (diga o nome do homem) de Fulana (diga, se souber, o nome da amante dele; se não
souber, diga apenas 'da maldita amante')."
Afaste-se, dando sete passos para trás, sempre de frente para o despacho. Depois disso,
retorne para casa e retome suas atividades rotineiras; Pomba-Gira se encarregará de
resolver seu problema.
Mas que caminho tão escuro Que vai passando aquela moça. Que vai passando aquela moça.
Com seus farrapos de chita Estalando osso por osso. Estalando osso por osso.
Olha, minha gente,
Ela é farrapo só.
Ela é farrapo só.
E Pomba-Gira Maria Molambo
É de coro, có, có.
É de coro, có, có.
Maria Molambo traz Linda saia com sete guizos. Linda saia com sete guizos. Quando roda
nos terreiros Trabalhando nas demandas Mostra que tem muito juízo.

Trabalho com Pomba-Gira Menina para Atrair Rapaz Solteiro e Jovem
Algumas mulheres não têm a sorte de encon¬trar homens solteiros. Quando algum homem se
apro¬xima delas, elas logo descobrem que eleja é compro¬metido ou, quando não o é, é de
idade a vançada.
O uso de trabalhos feitos para Pomba-Gira Menina está diretamente ligado às forças
atrativas da juventude, da beleza e do encantamento. Executando a oferenda conforme o
recomendado, Pomba-Gira Menina atrairá não apenas um, mas sim vários homens solteiros e
jovens, para que a pretendente escolha à vontade.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• Uma caixa de bombons (se forem compra¬dos a granel, devem ser, no mínimo, 17).
• Sete rosas vermelhas.
• 250 g de milho de pipoca.
• Um batom.
• Uni pente.
• Um par de brincos.
• Um espelho pequeno.
• Uma toalha vermelha.
• Sete velas brancas.
• Sete fitas vermelhas.
• Unia folha de papel branco.
• Erva-doce.
• Três xícaras de água (ou mais).
• Mel.
• Panelas.
• Fósforo.
• Uma garrafa térmica grande.
• Um copo incolor, virgem.
• Uma tac,a incolor, virgem.
• Lápis ou caneta.
• Um prato de barro.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser feito em um parque in¬fantil, à meia-noite; escolha o local com
antecedência. No dia escolhido, antes de sair de casa, prepare um chá com a erva-doce e a
água; adoce a seu gosto e guar¬de na garrafa térmica, para que não esfrie. A seguir,
estoure as pipocas e coloque-as no prato de barro.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material para o parque escolhido de modo a estar lá à meia-noite. Ao chegar,
peça licen ça ao dono do lugar, batendo três vezes com a mão nc» chão. Abra a toalha no
chão e arrume os presentes em cima: os bombons dentro do prato e os adereços em volta.
Desenhe no papel três pontos riscados da Ponv ba-C.ira Menina e cante um ponto para ela
se alegrar.
Acenda as velas de duas em duas, colocando-as na ca¬beceira do trabalho, onde estão os
obietos da oferenda.
Coloque um pouco do chá no copo e tome dois goles. Depois do primeiro, repita a seguinte
frase: "Te saúdo, Pomba-Gira Menina, vem receber teus presen¬tes." Depois do segundo
gole, repita esta frase: "Man¬da um rapaz bonito e jovem para me amar e eu sem¬pre vou te
recompensar."
Depois de beber os dois goles do chá, despeje o resto do copo fora. Em seguida, ponha um
pouco de chá na taça e ofereça á Pomba-Gira Menina, deixando-a junto aos presentes. Feito
isso, afaste-se do despacho, dando sete passos para trás, sempre de frente para a
oferenda; depois volte para casa.
Quando aparecer o primeiro rapaz jovem e solteiro em sua vida, vá logo agradecer á
Pomba-Gira Menina, fazendo outra oferenda semelhante, para mostrar sua gratidão e
reforçar seu pedido. Se quiser amarrar esse homem, faça um trabalho para a Pomba-Gira
Cigana.
PONTOS CANTADOS:
Meu sinhô, meu sinhozinho Gargalharam na encruzilhada Gargalharam na encruzilhada Era
Pomba-Gira Menina, sinhô Que reinava na madrugada. Que reinava na madrugada.
Olha que menina linda Olha que menina bela. É Pomba-Gira Menina Me chamando da sua
janela. Me chamando da sua janela.
Ela é uma beleza É Pomba-Gira Menina É Pomba-Gira Menina Na demanda não bambeia. Sua
morada é na esquina. Sua morada é na esquina.
Trabalho com Pomba-Gira Maria Padilha,
para Separar um Casal
Existem milhares de casais que vivem mal e nada mais resta a fazer para uni-los, senão
apelar para forças sobrenaturais. Entretanto, alguns casais não acre¬ditam nas forças das
entidades da umbanda e do can¬domblé; muitos até ridicularizam os seguidores des¬sas
crenças. Mas, se você éparente ou conhecido de um casal que está desunido, brigando a
ponto de se separar, então peça auxílio à Pomba-Gira Maria Padilha; ela é forte para unir
casais, como também o é para separar. Você é quem decidirá o que irá pedir.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• Um botão de uma camisa do homem (ou um pedaço de linha da camisa).
• Um botão de uma roupa da mulher (ou um pedaço de linha da roupa).
• Uma garrafa de champanhe.
• Sete charutos.
• Sete rosas vermelhas.
• Um prato de barro.
• 300 g de farinha de milho.
• Um vidro de azeite-de-dendê.
• Sete velas pretas (se o trabalho for feito para separar) ou vermelhas (se for
para unir).
• Uma vela branca.
• Duas taças ou copos de vidro, virgens.
• Sete fitas vermelhas.
• Uma agulha.
• Linha preta (se o trabalho for feito para se¬parar) ou vermelha (se for para unir).
• Fósforos.
CUIDADOS INICIAIS:
Prepare todo o material para levar a um cemi¬tério na primeira sexta-feira de um mês
qualquer. O despacho deve ser arriado exatamente à meia-noite.
Antes de sair de casa, prepare uma farofa com a farinha e o azeite-de-dendê, arrumando-a
no prato. Os botões ou fios das roupas das duas pessoas devem ser costurados juntos. Se a
intenção do trabalho for unir o casal, faça essa costura com a linha vermelha; se a
intenção for a separação, use a linha preta.
COMO FAZER O DESPACHO:
Chegando ao cemitério, faça uma saudação a Exu e a Ogum, que são os donos do lugar,
pedindo-lhes licença. O despacho deverá ser colocado junto ao cruzeiro do cemitério;
entretanto, se você não puder entrar no cemitério, ou se não conseguir ter acesso ao
cruzeiro, deixe tudo do lado de fora, junto ao muro.
Preste bastante atenção, pois o trabalho deve¬rá ser feito de forma diferente conforme
seja para unir ou para separar o casal.
Se o despacho for para "unir" o casal, coloque o prato com a farofa do lado "esquerdo" do
cruzeiro ou do portão do cemitério; arrume as fitas por cima do prato e coloque os botões
ou fios (costurados com li¬nha "vermelha") no centro. Arrume as rosas em volta (elas
servem para qualquer dos dois casos, pois são o agrado maior para Maria Padilha). Acenda
as velas "vermelhas" e a branca. Acenda os charutos, abra o champanhe e sirva nas duas
taças.
Se o despacho for para "separar" o casal, colo¬que o prato com a farofa do lado "direito"
do cruzeiro ou do portão do cemitério; arrume as fitas por cima do prato e coloque os
botões ou fios (costurados com li¬nha "preta") ao lado. Arrume as rosas em volta. Acen¬da
as velas "pretas" e a branca. Acenda os charutos, abra o champanhe e sirva nas duas
taças.
Cante ou recite um ponto de Maria Padilha, chamando-a para receber a oferenda. Depois
disso, afaste-se, dando sete passos para trás, sem dar as cos¬tas para o despacho; em
seguida, volte para casa. Não conte a ninguém a respeito do que fez.
De onde é que Maria Padilha vem Onde é que Maria Padilha mora Onde é que Maria Padilha
mora
Ela mora na mina de ouro Onde a criança não chora. Onde a criança não chora.
Maria Padilha
Rainha do (. candomblé
Firma curimba
Que tá chegando mulher.
Maria Padilha
Traz linda figa de ouro
Traz linda figa de ouro
Oi sarava Rainha linda da Quimbanda
Sua proteção é um tesouro.
Sua proteção é um tesouro.
Eia é Fomba-Gira Mana Padilha De sandalinha de pau De sandalinha cie pau Ela trabalha e
faz o bem Mas pode trabalhar pro mal. Mas pode trabalhar pro mal.
Pomba-Gira Maria Quitéria é uma entidade guerreira; seu desejo é lutar, guerrear e sair
vencedo¬ra. Com ela, atuam legiões de entidades pagãs, pron¬tas para pelejarem contra o
que ela desejar. Assim, este trabalho deve ser feito com bastante generosidade, pois a
oferenda pode ter muitos candidatos.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Um objeto pertencente à mulher que rece¬berá o castigo.
Sete ovos de galinha de quintal.
Um prato de barro.
Sete charutos.
Sete cigarros.
Fósforos.
Um batom.
Um par de brincos.
Uma garrafa de cachaça.
200 g de milho de pipoca.
300 g de farinha de milho.
Azeite-de-dendê
• Doze rosas vermelhas.
• Sete velas pretas.
• Sete fitas pretas.
• Uma toalha preta.
• Uma folha de papel vermelho.
• Lápis ou caneta.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser realizado numa sexta-feira, em noite de lua cheia, exatamente na
Hora Gran¬de da meia-noite. Ele deverá ser arriado em uma en¬cruzilhada em forma de T.
Antes de sair de casa, estoure a pipoca e mis-ture-a com uma farofa feita com a farinha e
o azeite-de-dendé, arrumando tudo no prato de barro.
COMO FAZFR O DESPACHO:
Leve todo o material para a encruzilhada escolhida. Lá chegando, peça licença aos donos
do lu¬gar, Ogum e Exu, para que o trabalho corra bem. A seguir, escreva na folha de papel
o nome da pessoa que deseja castigar e desenhe o ponto riscado da Pom-ba-Gira Maria
Quitéria.
Estenda a toalha no chão. Coloque por cima o papel, com o prato no centro. Coloque os
ovos e as fitas sobre o prato. Arrume em volta as rosas, o batom, os brincos, o ob]eto da
pessoa, os charutos e os cigar-
ros. Acenda as velas, arrumando-as em volta da toa¬lha; a seguir, abra a garrafa de
cachaça e despeje um pouco sobre o despacho. Enquanto faz isso, repita sete vezes a
seguinte frase: "Vem, Pomba-Gira guerreira, vem castigar Fulana (diga o nome da pessoa)."
Ao terminar de arriar todo o despacho, cante ou recite um ponto de Pomba-Gira Maria
Quitéria. Afaste-se dan¬do sete passos para trás, sempre de frente para o des¬pacho.
Depois disso, retorne para casa.
É importante lembrar que, depois de ter o pe¬dido realizado pela Pomba-Gira Maria
Quitéria, reco-menda-se fazer uma oferenda com rosas e fitas no mesmo lugar. Desse modo,
você estará agradecendo o favor recebido e protegendo-se contra as más vibra¬ções de
outras pessoas e entidades que possam estar vindo em sua direção.
PONTOS CANTADOS:
Quando eu bato palmas Saravá a encruzilhada Saravá a encruzilhada Saravá Exu mulher
Saravá Maria Quitéria Rainha da madrugada. Rainha da madrugada.
Existe um Exu mulher Que não passeia à toa Quando passa pela encruza
Ela não faz coisa boa.
Seu nome é Maria Quitéria
Que castiga e também perdoa.
Ali vem Sá Maria Quitéria Trazendo um axé no pé Balançando a sua saia Reforçando a nossa
fé Saravá ô, saravá é Saravá ô, saravá é
Sou a Maria Quitéria E vivo nas sete encruzas Saravo quem me presenteia Debaixo da lua
cheia.
Trabalho com Pomba-Gira da Porteira, para o Homem Assumir a Paternidade de um Filho
Para fazer este despacho, é necessário arriá-lo na porteira de um sitio ou de uma
fazenda, onde exis¬tam animais de qualquer espécie; este é o lugar onde mora a Pomba-Gira
da Porteira. Se for feito em qual¬quer outro lugar, o trabalho não terá efeito algum.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• Uma toalha vermelha.
• Três rosas vermelhas.
• Um alguidar de barro.
• 14 fitas vermelhas.
• 14 velas vermelhas.
• Sete velas pretas.
• Sete charutos.
• Fósforos.
• 250 g de milho de pipoca.
• Agua de rio ou de mar.
• Uma panela.
CUIDADOS INICIAIS:
Você precisará, com antecedência, obter uma porção de água de rio ou de mar. Além disso,
ao esco-lher o local para a realização do trabalho, verifique se lá há algum tipo de animal de
que possam existir fi¬lhotes, pois um deles deverá participar da oferenda.
No dia de fazer o trabalho, antes de sair de casa, estoure a pipoca.
COMO FAZKR O DESPACHO:
Leve todo o material para a frente do sítio ou fazenda escolhido, à meia-noite. Peça
licença aos do¬nos do lugar, faça seu pedido à Pomba-Gira da Portei¬ra, para que o homem
reconheça o seu filho, e cante dois pontos para chamá-la.
Abra a toalha no chão. Encha o alguidar com a água e coloque-o no centro da toalha.
Arrume as fitas e a pipoca em volta. Acenda os charutos e as velas, colocando tudo em
volta do alguidar. Por fini, jogue as rosas dentro do alguidar com água. Feita a
oferenda, tire um punhado de pipoca e dê sete passos para trás, sempre de frente para o
despacho. Depois disso, afas-te-se normalmente.
Dê a pipoca que retirou da oferenda a algum animal novo que encontrar; pode ser um
pintinho, um cãozinho, um gatinho ou outro animal qualquer; o importante é que um animal
ainda novinho coma uma parte da pipoca que você ofereceu à Pomba-Gira da Porteira.
Dentro de sete semanas, se o homem ainda não tiver reconhecido o filho ou filha como seu,
volte a fa¬zer a oferenda, do mesmo modo como fez a primeira. Ponha fé em seu pedido e
ele será atendido.
PONTOS CANTADOS:
Eu sou Pomba-Gira da Porteira Em cada uma tenho uma morada Eu quero filho pra defender E
inimigo pra espetar Eu sou Pomba-Gira da Porteira E lá que eu faço minha morada.
O gira formosa, tem alegria e rosa.
O gira formosa, tem alegria e rosa.
Na gira de Pomba-Gira
Você vem balançar
Abre a porta da fazenda
E vem logo trabalhar,
E seus filhos saravá.
Meu caminho é de fogo Na porteira eu só deixo entrar Quem primeiro me agradar Sou Pomba-
Gira da Porteira Levo o que tem pra levar. Levo o que tem pra levar.
Tm hd lho com Pomba-Gira da Praia, para a Mulher Acalmar seu Homem
As vezes, um homem vive nervoso por causa de problemas familiares; mas também pode ser
que alguma entidade sobrenatural esteja encostada nele, causando mau humor e
contrariedade. De qualquer modo, é melhor fazer um trabalho para deixá-lo mais tranquilo,
com a ajuda da Pomba-Gira da Praia.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Sete velas vermelhas. Sete fitas vermelhas. Sete cigarrilhas. Um par de brincos. Três
pulseiras. Três batons. 24 rosas vermelhas. Um par de tamancos. Roupa branca. Fósforos.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho é realizado na praia. Para fazer a oferenda, você deverá vestir roupa
branca completa, incluindo até mesmo o calçado.
COMO FAZER O DESPACHO:
Ao chegar na praia, antes de iniciar o traba¬lho, peça licença a Iemanjá, que é soberana
do mar. A seguir, coloque na areia, perto da água, os tamancos, os brincos, as pulseiras
e os batons; arrume em volta as fitas e acenda as velas e as cigarrilhas. Após fazer
isso, cante um ponto da Pomba-Gira da Praia.
Segure as rosas e entre no mar, dando doze passos para dentro da água. Ao retornar, a
cada um dos passos que der, jogue uma rosa no mar, comple¬tando um total de doze rosas.
Ao chegar ao local onde arriou a oferenda, coloque as doze rosas restantes no local do
trabalho. A seguir, repita sete vezes a seguin¬te frase: "[Fulano (diga o nome da
pessoa)], de hoje em diante tu serás calmo, muito calmo." Afaste-se dando sete passos
para trás, sempre de frente para o despacho. Depois disso, retorne para casa.
A marola do mar já vem rolando Pomba-Gira da Praia já deu sua risada Ela é mulher bonita,
muito formosa, Trabalhando na areia ou na encruzilhada.
Kererê, kererê
Pomba-Gira da Praia é kererê
Kererê, kererê
Sua gira ê formosa, oi saravá.
Quem quiser vá ver Quem não crê que vá olhar Pomba-Gira da Praia, meu sinhô Vem nas ondas
do mar, O vem nas ondas do mar.
Ancorou, ancorou na praia Sá Pomba-Gira ancorou. O Pomba-Gira, ó Pomba-Gira Ancorou na
praia Veio seus filhos saravá.
Trabalho com Pomba-Gira Rainha,
para a Mulher Atrair um Homem Rico
O amor ao dinheiro quase sempre é a raiz de muitos males; mas ninguém pode viver neste
mundo sem o dinheiro. Viver na miséria não deve ser o desti¬no de ninguém. Pomba-Gira
Rainha émuito vaidosa e tem capricho. Se você lhe fizer a oferenda correta, não ficará
sem ter o seu pedido atendido. Você deve gas¬tar tanto quanto possa neste trabalho; dê do
bom e do melhor a esta exigente Pomba-Gira.
MATERIAL NECESSÁRIO:
Uma toalha vermelha com franjas bordadas. Uma garrafa de champanhe. Um maço de cigarros.
Fósforos.
Várias contas de porcelana ou cristal, ver-melhas.
Um par de brincos. Um pacote de defumador. Um incensório.
Um par de tamancos de madeira. Várias pulseiras de argola. 14 rosas vermelhas. Sete velas
vermelhas.
CUIDADOS INICIAIS:
Providencie todo o material para que possa fazer o trabalho numa sexta-feira, por volta
da meia-noite, em uma encruzilhada.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material para a encruzilhada. Ao chegar, peça licença ao dono do lugar. A
seguir, abra a toalha no chão e arrume todos os presentes em cima dela. No fi nal, acenda
as velas e, por último, o defumador. Repita sete vezes, em voz alta, a seguinte frase:
"Rainha da Encruza, vem me ajudar... quero homem rico, quero me casar."
Afaste-se, dando sete passos para trás, sem¬pre de frente para o despacho; a seguir,
volte-lhe as costas e siga seu rumo.
Este trabalho dá melhor resultado quando e repetido semanalmente, durante sete sextas-
feiras se¬guidas.
PONTOS CANTADOS:
Meu sinhô, meu sinhozinho, Gargalharam na encruzilhada Gargalharam na encruzilhada Era
Pomba-Gira Rainha, sinhô Que reinava na madrugada. Que reinava na madrugada.
Auê, Pomba-Gira Rainha Comanda a madrugada Comanda a madrugada Quando nas encruzas Dá
logo sua gargalhada.
Queiram bem a Exu, Queiram bem a Exu, gente Queiram bem a Exu, gente Eu quero Dona
Rainha. Queiram bem a Exu, gente.
Ela está no reino, auê Ela vem saravá, auá. Pomba-Gira Rainha, auê. É a Rainha do Mal,
auá.
Trabalho com Pomba-Gira Rum beira, para Fazer a Mulher Agradar a um Homem na Cama
Este é um trabalho que requer cuidadosa pre¬paração por parte da pessoa que irá pedir a
ajuda da Pomba-Gira Rumbeira.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• 12 rosas vermelhas.
• Sete velas vermelhas.
• Sete cigarros.
• Sete velas brancas.
• Fósforos.
• Uma calcinha.
• Uma toalha vermelha.
• Sal grosso.
• Azeite-doce.
CUIDADOS INICIAIS:
Antes de iniciar o trabalho propriamente dito, a mulher deve esperar a chegada da
menstruação. No primeiro dia, ela deve tomar um banho com sal grosso e beber uma
colherinha das de chá de azeite-doce; no último dia da menstruação, deve tomar outro
banho com sal grosso e beber outra colherinha de azeite.
Somente deve efetuar o despacho depois que cessar totalmente a menstruação.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material para um lugar onde exis¬tam várias encruzilhadas seguidas. Vá
andando e conte três encruzilhadas. Ao chegar à terceira, peça licença aos donos do lugar
e comece a fazer a oferenda.
Abra a toalha no chão. Arrume sobre ela a calcinha e as rosas. Acenda os cigarros e as
velas, arru¬mando tudo em redor da oferenda. Cante um ponto para Pomba-Gira Rumbeira.
Afaste-se dando sete pas¬sos para trás, sempre de frente para o despacho. De¬pois disso,
retorne para casa.
PONTOS CANTADOS:
Pomba-Gira chegou
Eu sou Rumbeira
Pomba-Gira chegou e é rumbeira
Pomba-Gira chegou p'ra trabalhar.
Em cima das sepulturas
Eu gosto de trabalhar
E nas encruzas
Também venho guerrear.
Rumbeira tem malícias Nas cadeiras, Rumbeira sua malícia É uma fogueira.
O que queima, queima Bole, bole, sem parar. Oi que queima sem parar. Oi que queima,
queima, Sua alegria é de lascar.
Na minha encruzilhada Sou muito consagrada Sou Pomba-Gira Rumbeira Tenho rosas tão
apreciadas. Com perfume quero alegrar Os filhos que têm fé E querem me chamar.
Trabalho com Pomba-Gira Rainha
dos Sete Cruzeiros, para
Prender o Homem em Casa
Muitos homens apreciam o jogo, a farra, e qua¬se não ficam em casa. Com a Pomba-Gira dos
Sete Cru¬zeiros, você pode fazer um trabalho forte para que seu homem passe a gostar de
ficar em casa.
MATERIAL NECRSSAKIO:
Três botões arrancados de uma roupa do homem.
Sete rosas vermelhas.
Sete velas vermelhas.
Uma vela branca.
Um prato de barro.
250 g de milho para pipoca.
Uma garrafa de cachaça.
Uma taça ou copo virgem.
Sete fitas vermelhas.
Uma toalha vermelha.
Fósforos.
Abridor de garrafas.
Uma panela.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser feito em uma noite de lua crescente, junto ao cruzeiro de um
cemitério. An¬tes de sair de casa, estoure a pipoca.
COMO FAZER O DESPACHO:
Leve todo o material até o cruzeiro do cemité¬rio. Lá chegando, peça licença ao dono do
lugar e faça sua oferenda.
Estenda a toalha no chão. Coloque no centro o prato com a pipoca, enfeitado com as rosas
e as fitas. Coloque os botões dentro do copo (ou taça) e encha-o com cachaça até derramar
no chão; coloque o copo e a garrafa ao lado do prato. Acenda as velas em volta da toalha.
Cante um ponto de Pomba-Gira Rainha dos Sete Cruzeiros. Afaste-se dando sete passos para
trás, sempre de frente para o despacho. Depois disso, retorne para casa.
PONTOS CANTADOS:
Meu Santo António Veio me ajudar Enfeitar a Terra Enfeitou o Gongá Trouxe Exu na gira
Para me limpar. Saravá Pomba-Gira
Nos sete Cruzeiros
Ela vem saravá
Com Exu pra me ajudar.
Nos sete Cruzeiros
Ela faz a sua ronda
E lá que é sua morada
Pomba-Gira Rainha dos Sete Cruzeiros
Também trabalha na encruza
Mas no cruzeiro faz sua ronda.
E demandeira na encruzilhada.
Saravá Pomba-Gira dos Sete Cruzeiros
Saravá linda morena,
Vem aqui neste Gongá
Pois corre gira sem parar
Pois corre gira sem parar
Ela é formosa e vem trabalhar.
Trabalho com Pomba-Gira Rainha
das Sete Encruzilhadas, para a Mulher
Ficar Mais Bela e Sedutora
O desejo de toda mulher é tornar-se bela e se¬dutora para os homens. Para conseguir este
benefício, você deve preparar uma oferenda especial para Pom¬ba-Gira Rainha das Sete
Encruzilhadas.
MATERIAL NECESSÁRIO:
• Sete rosas vermelhas.
• Sete velas vermelhas.
• Sete velas pretas.
• Um pacote de sal grosso.
• Uma garrafa de cachaça.
• Sete cigarrilhas.
• Um litro de leite de cabra.
• Um batom.
• Várias pulseiras.
• 250 g de milho de pipoca.
• Uma toalha vermelha.
• Fósforos.
• Abridor de garrafa.
CUIDADOS INICIAIS:
O trabalho deve ser feito na noite de uma sex-ta-feira de lua cheia, para que as
vibrações sejam ain¬da mais poderosas. Antes de sair de casa, estoure a pipoca.
COMO FAZER O DFSPACHO:
Leve todo o material para uma encruzilhada. Depois de pedir licença ao dono do lugar,
abra a toa¬lha no chão e arrume sobre ela o batom, as pulseiras, a pipoca e as rosas;
acenda as cigarrilhas; abra a cachaa. Depois de arriar a oferenda, cante um ponto de
Pomba-Gira Rainha das Sete Encruzilhadas e acenda as velas em volta da toalha. Afaste-se
dando sete pas¬sos para trás, sempre de frente para o despacho. De¬pois disso, retorne
para casa, levando de volta o leite de cabra e o pacote de sal.
Chegando em casa, tome um banho com todo o leite de cabra e um pouco do sal; durante os
sete dias seguintes, tome um banho com mais uma parte do sal grosso. Repita a oferenda a
cada sete semanas.
PONTOS CANTADOS:
Sou Rainha das Sete Encruzilhadas Na encruzilhada eu sei trabalhar Com a ajuda de meus
sete maridos Quero ver quem vai me ganhar. O meu garfo sei que é muito forte
Com ele gosto de trabalhar
Se o inimigo tem muita força
Os sete maridos estão aí para me ajudar.
Ela é Rainha, ela é Rainha Das suas Sete Encruzilhadas Ela é Rainha, Pomba-Gira na
estrada. Caminha, como caminha. Salve as Sete Encruzilhadas. Me saravo que ela é Rainha
Ela é Rainha.
Eu moro nas encruzilhadas
Nas Sete Encruzas eu sou rainha
Quando o encruzo está carregado
Vou dividindo com meus camaradas.
Tem Tranca-Rua,
Tem Marabô,
Tem o Rei das Sete Encruzilhadas.
Trabalho com Pomba-Gira das Sete Sepulturas, para Combater uma Mulher Inimiga
Este trabalho deve ser feito com todo cuidado possível, pois qualquer erro vai impedir de
atingir os seus objetivos. A o concluir o serviço, a mulher que age como sua inimiga
sofrerá sérios prejuízos e mesmo doenças; caso ela não se cuide, arrependendo-se, po¬derá
até morrer.
MATFK1A1 NECFSSAKIO:
Uma toalha preta.
Sete velas pretas.
Sete fitas pretas.
Sete moelas de galinha.
Doze rosas vermelhas.
Um vidro de óleo de rícino.
250 g de milho de pipoca.
300 g de farinha de milho.
Três fios de cabelo da pessoa (ou pessoas)
que se deseja castigar.
Um prato de barro.
Uma garrafa de cachaça.
Fósforos.
Abridor de garrafa.
CUIDADOS INICIAIS:
O trabalho deve ser feito numa sexta-feira à noite, em um cemitério. Antes de sair de
casa, estoure a pipoca e misture-a com a farinha de milho no prato.
COMO FAZER O DESPACHO:
No dia escolhido, leve todo o material para um cemitério. Depois de pedir licença a
Ogum-Megê, que é o chefe da entrada, passe por sete sepulturas, acendendo uma vela em
cada uma delas.
Junto da sétima e última sepultura, estenda a toalha e coloque em cima o prato com a
farofa e as pipocas. Ponha por cima as moelas e os fios de cabelo (que são indispensáveis
para o efeito positivo do tra¬balho); regue tudo com o óleo de rícino. Arrume em volta as
rosas e as fitas. Abra a garrafa de cachaça e derrame sobre o despacho.
Cante um ponto de Pomba-Gira das Sete Se-pulturas. Afaste-se dando sete passos para trás,
sem¬pre de frente para o despacho. Depois disso, retorne para casa.
PONTOS CANTADOS:
Pomba-Gira das Sete Sepulturas Está pronta para nos ajudar Seu marafo e seu dendê Ela
gosta de cuidar. Ela gosta de cuidar.
Quando pega uma demanda Vitória ela tem p'ra dar E Exu que lhe dá permissão E não escolhe
ocasião.
Eu vou girar, eu vou girar
E na minha caminhada
Eu vou passar pelas Sete Sepulturas
E Pomba-Gira vou encontrar.
Nas minhas sete sepulturas Nas minhas sete sepulturas Eu sou rainha, eu vou chegar Nas
minhas sete sepulturas Demandas venho catar O meu garfo é muito firme E com ele venho
guerrear.
Trabalho com Pomba-Gira da Sepultura, para Castigar um Homem que Abandona a Esposa
Existem mulheres que desejam ver-se livres dos maridos e tudo fazem para que eJes vão
embora; mas ha aquelas que são carinhosas, amantes, amigas e espo¬sas ideais, mas alguns
homens, volúveis e ingratos, não reconhecem isso e um dia decidem abandonar a mu¬lher.
Através da ajuda de Pomba-Gira da Sepultura, é possível castigar o ingrato e até forçá-lo
a arrepender-se e, como um cordeirmho, voltar para o lar.
MATERIAL NKCF.SSÁRIO:
• Duas garrafas de cachaça.
• Sete velas vermelhas.
• Sete velas pretas.
• Sete fitas pretas.
• Sete fitas vermelhas.
• Sete rosas vermelhas.
• Sete charutos.
• Uma peça de roupa ou objeto de uso pes¬soal do homem.
• Um prato de barro.
• 250 g de milho de pipoca.
• Fósforos.
• Abridor de garrafa.
• Uma panela.
CUIDADOS INICIAIS:
Este trabalho deve ser feito em uma sexta-fei-ra, em um cemitério. Antes cie sair de
casa, estoure a pipoca.
COMO FAZER O DESPACHO:
Chegando no cemitério, peça licença ao dono do lugar, que é Ogum-Megê. Depois, acenda as
velas e arrume a oferenda em cima ou ao lado de uma sepul¬tura: coloque o prato com a
pipoca, enfeitado com as rosas e as fitas; ao lado, coloque o objeto pertencente ao homem
e os charutos. Abra as garrafas de cachaça e derrame sobre o despacho.
Repita sete vezes a frase: "[Fulano, fulano (diga e repita o nome da pessoa)], tu
receberás o casti¬go que mereces e logo te arrependerás, Pomba-Gira da Sepultura vai te-
mostrar."
Depois cante um ponto da Pomba-Gira da Se-pultura. Afaste-se dando sete passos para trás,
sempre de frente para o despacho. Depois disso, retorne para casa.
Oi quem mora nessa ilha Oi quem mora nessa ilha Fogo por todos os lados Garfo seguro na
mão Rosas no chão se espalhando Formosa ela vinha então.
É Pomba-Gira da Sepultura Quem não lhe respeita Logo vê que não tem cura Logo vê que não
tem cura.
Pomba-Gira da Sepultura Demanda ela não rejeita Ela gosta de demandar Com seu garfo
formoso Seus inimigos gosta de espetar.
Meu melhor trabalho quero ofertar
Para o inimigo, cor da menga pra sangrar
O preto da minha roupa
Vou presentear ao inimigo
E na escuridão ele vai ficar.
O trabalho que aqui lhe ensino serve para pro¬teger seu homem contra todos os possíveis
perigos de morte: acidente, arma de fogo, arma branca, queda, envenenamento ou qualquer
outro. Um homem pro¬tegido pela Pomba-Gira dos Sete Cruzeiros da Calunga só morrerá de
velhice. Se isto é o que você deseja e se tem fé na entidade, faça então sua oferenda.
MATERIAL NECESSÁRIO:
24 rosas vermelhas.
Sete velas vermelhas.
Sete fitas vermelhas.
Uma vela branca.
250 g de milho de pipoca.
300 g de farinha de milho.
Um batom.
Várias pulseiras.
Vários charutos.
Uma garrafa de champanhe.
Um prato de barro.
Uma toalha vermelha.
Fósforos
CUIDADOS INICIAIS:
Escolha uma noite enluarada, de preferência em uma sexta-feira; o trabalho deve ser feito
junto ao cruzeiro de um cemitério, à meia-noite.
Antes de sair de casa, estoure a pipoca e mis¬ture com a farinha, arrumando tudo no
prato.
COMO FAZER O DESPACHO:
Chegando ao cemitério, peça licença ao dono do lugar, Ogum-Megê, pois, sem sua permissão,
nada pode ser feito. Vá até o cruzeiro e abra a toalha no chão. Ponha o prato com a
farofa e as pipocas sobre ela e enfeite-o com as fitas e parte das rosas. Arrume em volta
as outras rosas, o batom, as pulseiras, os charu¬tos e a garrafa de champanhe. Acenda as
velas uma a uma, deixando a vela branca para acender por último.
Cante um ponto dedicado a Pomba-Gira dos Sete Cruzeiros da Calunga e faça o seguinte
pedido: "Peço proteção para Fulano (diga o nome da pessoa); que ele jamais sofra
acidentes até chegar a sua hora." Após fazer seu pedido, dê sete passos para trás sem dar
as costas para o despacho; depois disso, vá para casa.
Esta oferenda deve ser reforçada a cada três meses; lembre-se de que os agrados feitos à
Pomba-Gira são decisivos para sua ajuda e boa vontade. Não tenha reservas em agradar
Pomba-Gira dos Sete Cru¬zeiros da Calunga, que aprecia rosas e enfeites.
PONTOS CANTADOS:
Quando eu nasci, eu era formosa E fui muito sacrificada Hoje moro no cruzeiro Ao lado de
meu Pai Omolu Ele é Pai e feiticeiro Feiticeiro de muita força e luz Ele é dono do
Cruzeiro, Ordenança de Ogum. No seu Reino eu vou vivendo São as almas que me conduzem Eu
me chamo Pomba-Gira Dos Sete Cruzeiros da Calunga.
Ela mora no Cruzeiro das Almas Ela guerreia sem querer parar Tem a força dos Pretos
Velhos E no Cruzeiro ela quer ficar Na morada de Omolu Obaluaê, meu Pai Atotô.
Eu sou Pomba-Gira dos Sete Cruzeiros Da Calunga, minha falange é muito boa Tenho até
muitas crianças, Como Exu, o que venero.
-->

Postagens populares

entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Google+ Followers

Seguidores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs